Efeito estufa e aquecimento global

Sábado, 24 de Agosto de 2013 as 14h:36





O efeito estufa faz parte da natureza e do equilíbrio térmico do planeta. Graças ao Efeito Estufa a Terra é mais quente do que o espaço ao seu redor e assim alcança a temperatura ideal para sustentar sua biodiversidade. O Efeito Estufa acontece porque nem toda a radiação de calor emitida pelo Sol é refletida ou 100% devolvida ao espaço... Parte da energia calórica que incide, volta e fica presa na atmosfera, mantendo assim a superfície o planeta aquecida. Esta é a parte boa do efeito estufa.

O ruim é que o Efeito Estufa está se ampliando. Isso está acontecendo porque a atmosfera está sendo sobrecarregada pelo excesso de gases estufa, como o gás carbônico, metano, óxido nitroso, fluoretos de enxofre, o vapor de água e a fuligem de fumaça. Esses são considerados os gases responsáveis por que mais calor seja retido na atmosfera do planeta, um fenômeno que repercute por toda a superfície da Terra. Assim, o crescimento do Efeito Estufa gera um desequilíbrio ou impacto com imediato efeito colateral: o Aquecimento Global.



O Aquecimento global é um fenômeno climático de amplo alcance, documentalmente registrado desde 1850, com efeito direito no aumento da temperatura média da superficial global. Suas causas são discutíveis mas seus efeitos visíveis.

Os dados mostram que o aumento médio da temperatura foi de 0.2 a 0.6 graus centígrados durante o século XX. Os maiores aumentos foram em dois períodos: 1910 a 1945 e 1976 a 2000. Grandes quantidades de gases têm sido emitidos para a atmosfera desde que começou a revolução industrial: a partir de 1750 as emissões de dióxido de carbono (CO2) aumentaram 31%, metano 151%, óxido de nitrogênio 17% e ozônio 36%.



Muitas vezes o aquecimento global é confundido com efeito estufa. Embora relacionados, são fenômenos diferentes. O efeito estufa é um processo natural sem o qual a vida no planeta estaria comprometida. Não houvesse o efeito estufa natural, o planeta Terra seria 30º mais frio. Onde a média fosse 10 graus, passaria a ser 13 graus. Assim, a biodiversidade e as atividades fotossintéticas seriam inferiores à atual.

O Efeito Estufa naturalmente acontece porque parte dos raios solares que incidem sobre a superfície da Terra retornam refletidos pela atmosfera. O Aquecimento Global, resultado do aumento geral da temperatura do planeta, está acontecendo em decorrência da ampliação do poder de reflexão do efeito estufa: mais raios solares incidentes refletem na atmosfera e retornam à Terra (efeito estufa).

DNA humano foi manipulado por ETS?

Sábado, 17 de Agosto de 2013 as 12h:43



TEMOS DNA extraterrestre em nosso Código Genético?



O INCRÍVEL deste sábado (22h30) e domingo (3 da tarde) vai abordar a EXOBIOLOGIA, o estudo de vidas extraterrestres. Entre as questões debatidas pelo program, uma pergunta: existe vida inteligente fora da Terra? Uma outra curiosidade é que o código genético humano tem peculiaridades que levam cientistas a suspeitarem de manipulação e combinações improváveis de naturalmente acontecer apenas por conta da natureza.

O genoma humano é constituído por cerca de três bilhões de nucleotídeos (ACGT), letras que representam as iniciais dos quatro ácidos nucléicos que formam toda a vida na Terra. Deste total, apenas um pouco mais de 1%são agrupados em genes funcionais (cada gene consiste de milhares de “letras”). A diferença entre um indivíduo e outro equivale a cerca de uma letra em mil no alfabeto do DNA.



Em uma época relativamente recente na Evolução, os humanos modernos adquiriram 223 genes extras que não surgiram através da evolução gradual, mas horizontalmente, como uma proposital inserção de material genético. Onde o homem adquiriu esses genes? Pesquisadores do Genoma Humano estão afirmando que parte do DNA da espécie humana foi manipulado por extraterrestres. Isto é INCRÍVEL

Humanidade ameaça vida na Terra

Terça-Feira, 06 de Agosto de 2013 as 22h:15





O grande desafio das próximas décadas é a busca da redução das desigualdades, sem que isso signifique a depredação nem a contaminação dos recursos naturais. Mas isso exige um outro estilo de desenvolvimento econômico e social. Depende do nível de consumo e do tipo de uso que fizermos dos recursos ambientais. Ao ritmo do consumo crescente em que vivemos, com o tipo de uso que se faz dos bens naturais, já ultrapassamos o limite da capacidade da Terra sustentar a humanidade. Os EUA têm 5% da população mundial e consomem 40% dos recursos disponíveis. Se os 7 bilhões de humanos tivessem o mesmo padrão de vida dos 270 milhões de americanos, seriam necessários 6 planetas Terra para nos abastecer.



Este é o primeiro século na história mundial em que as maiores ameaças à VIDA na Terra são provocadas pela própria humanidade.

Somos a espécie que mais transformações provocou na ecologia geral do planeta. Mas a Terra não depende de nós humanos para manter a VIDA vivendo. Se desaparecêssemos por um mágico estalo de dedos da face da Terra, nossos orgulhosos vestígios de espécie dominante seriam desmontados, ruiriam e desmoronariam em poucos milhares de anos. Um visitantes espacial que viesse à Terra não encontraria sinais óbvios de que uma civilização avançada já teria vivido aqui.

A natureza é boa mas não perdoa. Se não mudarmos nosso estilo de VIDA, vamos ter que mudar de planeta. Contando que a Natureza pode sempre encontrar seu reequilíbrio, nos resta continuar confiando em sua generosidade.

Humanos: a espécie que ameaça a Terra

Sexta-Feira, 02 de Agosto de 2013 as 13h:27





BIODIVERSIDADE: O MAIOR TESOURO DA TERRA

A incrível biodiversidade da Terra, o conjunto de todas as suas formas e ocorrências de vida, é o nosso maior tesouro e patrimônio. Aqui a VIDA é capaz de nascer, crescer, florescer, semear, propagar, reproduzir, multiplicar, adaptar, adquirir mutações, evoluir, morrer, diversificar, ultrapassar desafios e a conquistar superações. Mas, por mais que sejam diversas e resistentes, todas as diferentes espécies têm um mesmo destino comum: um dia podem deixar de existir, serem definitivamente extintas.

A extinção é como uma sentença inexorável, não se corrompe diante de insistentes súplicas, é irredutível, inflexível, inelutável, implacável.



A Terra é tão incrivelmente biodiversa que o número total de espécie existentes no planeta é incerto. Desde o início do século 18, quando o cientista sueco Carl Linnaeus instaurou um sistema de taxonomia ou classificação biológica ainda em vigor, mais de 1 milhão e 250 mil espécies foram descobertas e classificadas. Baseada em uma análise matemática dos seres conhecidos, estima-se que o planeta tenha 8,7 milhões de diferentes espécies. Curiosidade: o número de espécies animais conhecidas é três vezes maior que a de plantas.

Há quem diga que o número total de espécies na Terra pode ser maior que 100 milhões: estima-se que já foram descobertas 86% das espécies terrestres, mas as criaturas marinhas conhecidas nem chegaram a 9% do total que possa existir. Responder o mais urgente quantas espécies existem na Terra é importante. As atividades e impactos ambientais de uma única espécie, a Homo sapiens sapiens, estão perigosamente acelerando a taxa global de extinção da biodiversidade. Diante dessa mortal realidade, a pergunta é como e quando nossa própria espécie também se extinguirá ou provocará a auto-destruição do Planeta. Os prejuízos biológicos e econômicos da perda da biodiversidade são incalculáveis: muitas espécies estão desaparecendo na Terra antes mesmo de sabermos de sua existência, qual sua conexão com outras vidas, a sua função nos ecossistemas ou que contribuição poderiam proporcionar para um melhor bem-estar humano.

Oitenta por cento da nossa ingestão de calorias vêm de 12 espécies de plantas. Se nós valorizamos a comida que ingerimos e os remédios que usamos, precisamos agir para preservar nossas plantas medicinais e as espécies que cultivamos.

Delta do Parnaíba é um berçário

Quarta-Feira, 17 de Julho de 2013 as 19h:17



NO DELTA, AS ÁGUAS DO RIO PARNAÍBA SÃO BERÇÁRIOS DA VIDA!



O rio Parnaíba é um rio ainda vivo.No trecho do BAIXO PARNAÍBA, nas vizinhanças com o delta e no território das águas salobras do litoral, se pesca e se vive da pesca. Comunidades de pescadores têm uma proximidade direta com o rio e dele dependem. Peixes Surubins e Curimatás ainda são pescados e levados em canoas de remo até os mercados da região. Mandis e Piaus caem nas tarrafas, anzóis e redes.



A riqueza da ictiofauna (conjunto de espécies de peixes) no trecho mais próximo da foz do rio Parnaíba é um presente decorrente das florestas de manguezais do Delta. Estima-se que existam no planeta cerca de 172.000 km² de manguezais. Desse total, cerca de 5,8%, o equivalente a 10.000 km², estão no Brasil. Depois que o chão escuro do mangue é coberto pela preamar ou maré alta algas vermelhas, verdes e azuis crescem sobre as raízes.



A tarefa maior dessas algas é produzir energia e reter minerais. Quando bactérias e fungos atuam decompondo as folhas do manguezal, a cadeia alimentar é iniciada, baseada no uso dos detritos resultantes desta decomposição. Essa comida ou biomassa é a base que alimenta, direta e indiretamente, desde as fases mais jovens quanto as espécimes adultas que circulam pelo território salobro do delta.

Página 8 de 47 Primeira 456789101112 Última