1.071 focos de incêndio são registrados em apenas dois meses no Piauí , diz Ibama

1.071 focos de incêndio são registrados em apenas dois meses no Piauí , diz Ibama

A luta pela redução dos focos de calor no estado já conta com pelo menos 107 brigadistas

O combate a incêndios em todo o estado está sendo intensificado. O Piauí está com sete brigadas de combate ao fogo espalhadas por sete municípios piauienses. A luta pela redução dos focos de calor no estado já conta com pelo menos 107 brigadistas, divididos pelos municípios do estado onde existe maior incidência de incêndios. Somente nos meses de julho e agosto foram 1.071 focos registrados em todo o Piauí, segundo o Instututo Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Narutais Renováveis (Ibama).

De acordo com Francisco Celso de Medeiros, coordenador do PrevFogo, do Ibama, essas brigadas facilitam o combate a incêndios porque diminuem o deslocamento que os bombeiros teriam. ?As brigadas são capacitadas, e aprendem a utilizar as técnicas de combate ao fogo. Agora as sete brigadas piauienses deverão receber equipamentos, incluindo um carro para cada uma das unidades brigadistas?, observa.

Os municípios onde estão alocadas as brigadas são Corrente, Bom Jesus, Alvorada do Gurgueia, Canto do Buriti, Jurema, Baixa Grande do Ribeiro, e Piracuruca. A escolha desses municípios para a aplicação das brigadas de incêndio se deve principalmente à proximidade do território desses municípios a áreas de unidade de conservação ambiental. ?A preocupação em se evitar fogo nessas áreas se deve principalmente porque esses locais possuem um patrimônio ambiental muito preservado?, pontua o técnico do Ibama.

O número de focos de calor somente no mês de julho foi de 571 incidências. Os dados do mês de agosto que ainda nem terminou já alcançam mais de 500 focos espalhados por todo o estado. ?Esse número é muito alto e por causa disso a preocupação em capacitar profissionais para combater o fogo?, pontua Celso.

Ele alerta que as causas dos focos variam conforme a região do estado e que o clima quente desta época do ano também se torna outro agravante para o aumento dos índices.

Os municípios da região Norte como as cidades de Miguel Alves, Teresina, União, Palmeirais têm registros frequentes de focos de calor. ?Nessa região o aumento se deve por causa da utilização do fogo no preparo do solo para a agricultura, e em geral as técnicas utilizadas ainda são bastante primitivas?, pontua Francisco.

Ele explica que é realizada a atividade preventiva e o processo de conscientização junto a esses agricultores para a realização das queimadas controladas, desta maneira evitando-se os incêndio florestais.

Outro local do estado onde os focos de calor também registram índices elevados e frequentes é a área o cerrado piauiense, a última fronteira agrícola. Em cidades como Bom Jesus, Curimatá e Corrente a situação é bastante grave.

?Essas práticas que provocam os focos de calor são mais concentradas nos meses do intervalo de agosto até dezembro?, conta. Ele aponta ainda que este ano a preocupação com os focos deve ser redobrada, já no ano anterior houve uma redução de 40%, fato que não será mantido em 2010.

Fonte: Thays Teixeira - Jornal Meio Norte