THE: 15 casas correm risco de desabamento na Santa Maria

As residências ficam localizadas no Parque Istael, na região da Santa Maria da Codipi

A situação de algumas residências da região da Santa Maria da Codipi está bastante comprometida e leva perigo a quem mora nelas. Por causa disso, 15 famílias terão que deixar suas casas devido ao risco de desabamento. Essa foi uma determinação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitacional (SEMDUH), após uma vistoria realizada nos últimos três dias, na região.

As residências ficam localizadas no Parque Istael, na região da Santa Maria da Codipi. Todas as 15 famílias deverão fazer parte do Projeto Família Acolhedora, da Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e de Assistência Social (SEMTCAS). Através desse projeto, todas as pessoas que moram na residência em risco de desabamento irão ser transferidas para a residência de um parente ou amigo, que receberá uma ajuda de custo de R$ 150 mais uma cesta básica, por um período de três meses. Depois disso, as famílias voltam para suas residências.

O morador da Rua 2, do Parque Istael, João de Oliveira Costa, que mora em área de risco e faz parte da lista de famílias que terão que deixar suas residências, comenta que apesar de o projeto Família Acolhedora garantir assistência às famílias, isso só acontece por um período de três meses. ?Nós não queremos apenas essa ajuda agora, nós queremos uma solução para nossas casas. Se estamos em área de risco queremos a resolução desse problema, pois daqui há três meses nós voltaremos e continuaremos em área de risco. E no próximo ano terá chuva novamente e novamente vamos continuar em risco?, reclamou.

Além das residências com risco de desabamento, há ainda mais 15 casas que correm o risco de serem alagadas novamente, a exemplo do que aconteceu nesse final de semana. Apesar disso, as famílias decidiram ficar nas suas casas. ?Essas pessoas preferem ficar para cuidar das suas casas, pois apesar do risco de alagamento, há perigo de desabamento. Mas a região também continuará sendo monitorada?, afirmou a coordenadora habitacional da SEMDUH, Rogéria Sousa.

O coordenador da Defesa Cilvil de Teresina, major João Amorim, explica que Teresina possui algumas áreas de risco, mas a região da Santa Maria da Codipi não estava inserida nessa lista. Por causa dos últimos acontecimentos o local será acompanhado com mais atenção pelas autoridades municipais. ?Sempre fazemos o levantamento das áreas de risco na cidade para esta época de chuvas, mas a Santa Maria não fazia parte delas, mas as coisas estão sempre mudando. Tem sempre uma nova residência sendo construída, uma nova rua sendo feita e isso acaba afetando a estrutura dos locais. Acreditamos que foi devido a essas mudanças que esse local passou a ter áreas de risco?, afirmou.

Fonte: Pollyana Carvalho