18º Grito da Terra acontece hoje em Brasília e reúne 250 trabalhadores rurais do Piauí

18º Grito da Terra acontece hoje em Brasília e reúne 250 trabalhadores rurais do Piauí

O evento reúne trabalhadores de todos os estados no maior movimento reivindicatório do homem do campo.

Pelo menos 250 trabalhadores rurais do Piauí se juntam hoje, em Brasília, a outros 8 mil agricultores de todo o País para pedir ao Governo Federal R$ 29 bilhões para a agricultura familiar.

Eles participam do 18º Grito da Terra Brasil, que reúne trabalhadores de todos os estados no maior movimento reivindicatório do homem do campo. Os agricultores piauienses saíram ontem em caravana em cinco ônibus de diferentes polos sindicais do interior do Estado e de Teresina.

O evento é realizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) com apoio das Federações dos Trabalhadores na Agricultura nos estados. ?As maiores conquistas da nossa classe acontecem neste grande evento todos os anos?, diz o presidente da Fetag, Evandro Luz. ?Além das reivindicações gerais, temos também as específicas?, completa ele.

Inseridos nos R$ 29 bilhões estão pedidos de recursos para o custeio seguro sagra 2011/2012, investimentos em obras, políticas agrícolas, construções de barragem, dentre outras ações e projetos para melhorar a vida do homem do campo.

Quanto as questões específicas, fazem parte da pauta a reforma agrária com a desapropriação de imóveis rurais, regularização fundiária, Programa Nacional de Crédito Fundiário, dentre outras.

No que se refere à política agrícola, tem o orçamento da política agrícola e desenvolvimento da agricultura familiar, enquadramento da agricultura familiar para efeito de acesso às políticas públicas, sistema de proteção à infraestrutura e à produção.

Políticas sociais, saúde para as populações do campo e da floresta/SUS, política de previdência social, proteção infanto-juvenil, educação do campo, habitação rural, democratização e acesso dos meios de comunicação e inclusão digital e cultura e esporte no meio rural.

E ainda reivindicações para terceira idade no campo, com a criação da Secretaria Especial da Pessoa Idosa, delegacias de proteção à pessoa idosa e mais rigor na fiscalização dos empréstimos para os aposentados; além do enfrentamento à violência contra as mulheres e autonomia econômica, trabalho e renda para as mulheres. Quatro diretores da Fetag-PI participam das negociações.

Fonte: Raimundo Gomes, Jornal Meio Norte