24 pessoas morrem em queda de avião no Amazonas

O número de vítimas resgatadas não bate com as informações passadas pelo piloto

O Corpo de Bombeiros de Manaus informou nas primeiras horas deste domingo (8) que 24 corpos foram resgatados do Rio Manacapuru, no Amazonas, onde está submerso o avião Bandeirante. Apenas quatro pessoas foram resgatadas com vida. Segundo o sargento Amarildo R. da Silva, do Corpo de Bombeiros de Manaus, as buscas foram encerradas por volta das 2h (horário de Brasília) e as chances de encontrar outras vítimas está descartada.

Segundo a Defesa Civil de Manacapuru, até agora quatro pessoas ? entre elas uma criança de nove anos - foram encontradas com vida e levadas ao hospital do município. São elas: Yan da Costa Liberal, de 9 anos, Brenda Dias Moraes, 21 anos, Érica Evangelista da Costa, 23 anos, e Ana Lúcia Reis, 43 anos. Todas passam bem.

O número de vítimas resgatadas não bate com as informações passadas pelo piloto antes do acidente. De acordo com a Aeronáutica, ele afirmou havia 20 pessoas na aeronave, entre passageiros e tripulação.

O avião da Embraer EMB 110 Bandeirante, prefixo PT-SEA, com capacidade para mais de 20 pessoas, continua amarrado a uma árvore para não afundar. A aeronave caiu na tarde deste sábado, a cerca de 80 km de Manaus. Ela voava com destino a Manaus e pertencia à empresa Manaus Táxi Aéreo

O avião decolou da cidade de Coari e, cerca de uma hora depois, caiu no Rio Manacapuru, próximo à ilha de Monte Cristo, na comunidade Santo Antônio, região da cidade de Manacapuru, por volta de 16h (horário de Brasília).

Segundo a Aeronáutica, o piloto entrou em contato com a torre do aeroporto de Manaus e informou que voltaria para Coari por causa da forte chuva. Neste momento, o Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) perdeu contato com a aeronave.

Ainda segundo o comando da Aeronáutica, o avião desapareceu dos radares do controle aéreo a 20 minutos de chegar a Manaus.

Segundo o 1º sargento do Corpo de Bombeiros de Manaus, Marimar Machado Marques, o piloto teria tentado fazer um pouso forçado no aeroporto de Manacapuru, mas caiu a cerca de 500 metros da cabeceira da pista, dentro do rio.

Aproximadamente 40 homens, da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Marinha trabalharam nas buscas. Duas equipes de mergulhadores do Corpo de Bombeiros de Manaus também foram deslocadas para o local. A chuva forte, que cai desde cedo na região, dificultou os trabalhos de resgate.

O comando da Aeronáutica informou que abriu sindicância para apurar as causas do acidente

Fonte: g1, www.g1.com.br