Cerca de 423 casos de catapora foram registrados em 2013 em THE

As altas temperaturas registradas nos últimos meses do ano desencadeiam uma série de doenças, entre elas a varicela

As altas temperaturas registradas no B-R-O-Bró são responsáveis por desencadear uma série de problemas à saúde. Além das típicas complicações respiratórias, a pele também sofre. A varicela, popularmente conhecida por catapora, é uma das doenças que atinge, dentre outras regiões, o tecido cutâneo, e tende a aparecer mais significativamente nessa época do ano. Por isso, é preciso adotar algumas medidas de prevenção ou tratamento.

Mal-estar, febre intensa e manchas avermelhadas que dão lugar a pequenas bolhas ou vesículas preenchidas de líquidos, e que consequentemente irão compor crostas, as quais vêm acompanhadas de coceira. Essas são algumas das características dessa doença, que já chegou a atingir 423 pessoas em Teresina somente este ano.

Segundo Amparo Salmito, gerente de epidemiologia da Fundação Municipal de Saúde (FMS), os casos de varicela têm um aumento considerável no mês de junho. Neste ano, segundo ela, os índices foram menores se comparados aos do ano de 2012.

?Já é esperado esse aumento mesmo nesse período do ano. O motivo se dá mesmo por ser uma época muito quente, então como é uma doença causada por vírus ela tende a se intensificar?, esclarece o enfermeiro Ricardo de Brito, da gerência de epidemiologia da FMS.

Amparo Salmito salienta que essa doença não pode ser considerada irrelevante, já que muitas complicações podem ser advindas da falta de cuidados necessários. ?A varicela pode gerar muitas complicações, como a pneumonia, encefalite. Nos casos mais graves, pode até causar paralisia. Por isso quando houver dúvidas, é preciso procurar os serviços médicos, porque essa é uma doença que precisa de acompanhamento?, alerta a profissional.

O enfermeiro Ricardo destaca ainda que a maior incidência de casos acontece em ambientes em que existe uma grande concentração de crianças. ?Ela se dá principalmente nas creches, porque é uma doença que a transmissão acontece por vias respiratórias?, explica.

Tratamento exige repouso

A gerente de epidemiologia da FMS aponta ainda que, após o contágio, essa não é uma doença tão simples de lidar como muitos costumam pensar. ?Não é tão fácil de tratar. Por isso, é importante buscar melhorar a alimentação da criança, por exemplo, já que, se não for tratada, essa doença pode levar a internações e, em casos mais raros, até a óbito?, adverte.

O profissional de enfermagem da FMS indica que as pessoas acometidas pela catapora devem buscar manter repouso, hidratação, principalmente nos 10 dias do estágio de evolução. ?Nesse período as lesões ficam mais úmidas, podendo ser transmitidas pela pele e também pela respiração?, disse Ricardo.

Ele orienta também que as mães tenham o cuidado de aparar as unhas das crianças, para que elas evitam coçar as lesões causando um agravamento do quadro, podendo gerar infecções mais acentuadas. Higienizar as lesões com sabão em barra também é outra medida que deve ser utilizada no tratamento da doença.

As gestantes e pessoas que têm baixa imunidade também devem evitar entrar em contato com pessoas que tenham contraído o vírus, já que elas estão no grupo mais tendencioso a ter agravamentos por conta desse problema.

Vacina será disponibilizada gratuitamente

O Ministério da Saúde disponibilizou, desde o mês passado, em toda a rede pública, a vacina varicela, inclusa na tetraviral, que também irá oferecer proteção contra sarampo, caxumba e rubéola. A nova vacina comporá o Calendário Nacional de Vacinação e será ofertada exclusivamente para crianças de 15 meses que já tenham recebido a primeira dose da vacina tríplice viral.

Com a inclusão da vacina, estima-se uma redução de 80% das hospitalizações por catapora. O Ministério da Saúde assegura que a vacina tetra viral é segura e tem 97% de eficácia e raramente causa reações alérgicas. Além disso, ela ficará disponível durante todo o ano nas Unidades Básicas de Saúde.

Em Teresina, segundo a gerente de epidemiologia da FMS, a vacina já chegou, porém, a distribuição ainda depende da atualização do caderneta de vacinação das crianças, que já está sendo realizada.

Fonte: Wherika Carvalho