Cinco postos de combustíveis são autuados em Teresina

Cinco postos de combustíveis são autuados em Teresina

Ação fiscalizou 26 postos de combustíveis na capital onde a aferição das bombas em 5 apresentaram irregularidades

Uma ação conjunta da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (PROCON) e Instituto de Metrologia do Estado do Piauí (IMEPI) permitiu que 26 postos de combustíveis de Teresina fossem fiscalizados encerrando nesta sexta-feira, dia 15 de março. O trabalho que começou a ser realizado na terça-feira, dia 12, terminou hoje e constatou que (05) cinco postos com irregularidades na aferição das bombas, o que gera prejuízos para o consumidor e muitas reclamações.

?A gente abastece e às vezes nunca sabe se realmente colocou no tanque o verdadeiro valor que estamos pagando. E se é certinho, isso dá mais credibilidade, por isso é importante ter essa fiscalização e divulgação dos postos que cumprem a regra?, desabafa a consumidora Ana Carla Dias.


5 postos de combustíveis são autuados em Teresina

?Quando vai ter uma fiscalização a gente vai para o posto sentindo-se mais segura?, pontua outra consumidora que preferiu não se identificar. Os ficais do IMEPI explicam como funciona a aferição das bombas, qual a marcação correta e quais motivos levam a essas irregularidades nos postos.


5 postos de combustíveis são autuados em Teresina

?Existem alguns casos que, se você tirar essas medidas pela manhã elas vão te dar um valor, se você retirar essas mesmas medidas à tarde irá dar outro valor porque a temperatura influencia, a questão do funcionamento da bomba influencia, ou seja, se a bomba tem um funcionamento bem menor isso também altera. E outros fatores também fazem com que, tecnicamente a bomba também se altere?, explica a fiscal do Inmetro Geusenir Nogueira que acompanhou a ação.

De acordo com a fiscal, os proprietários dos postos com irregularidades encontradas serão notificados para que realizem a manutenção adequada das bombas. ?Nós lacramos o bico da bomba que está inutilizado até que seja feita a manutenção da máquina?, informou a fiscal.

Na dúvida, os ficais orientam ainda como o consumidor deve proceder na hora de abastecer. ?Todos os postos têm a obrigação de ter o aferidor e atender o cliente que tem que pedir para que esse procedimento seja feito na sua presença. Pela regulamentação da ANP eles têm por obrigação ter esse aferidor disponível para o consumidor?, esclarece.

Se constatada a irregularidade e a não adequação do problema o posto fica passível a receber uma multa que varia de R$ 400 a R$ 6.000 e o dono do posto tem o prazo de 10 dias com o IMEPI e de 15 dias com o PROCON para apresentar a sua defesa.

Fonte: Marcilany Rodrigues