56% dos homens estão acima do peso no país,diz Ministério da Saúde

Sesapi esclareceu sobre o pré-natal masculino

De 2006 para cá, cresceu o número de pessoas com excesso de peso no país. Se em 2006, 43% da população brasileira estavam acima do peso ideal, em 2014, segundo dados do Ministério da Saúde, através da pesquisa Vigitel, esse número saltou para 52,5%.

E o que mais chama atenção é que os homens lideram essa estatística, eles atingiram 56,5% do total, já as mulheres representam 49,1%. Os dados demonstram apenas mais um problema de saúde que os homens são a maioria. Isso porque eles ainda evitam unidades de saúde, como forma de prevenção de doenças.

Em alusão ao Dia Nacional do Homem, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) realizou na manhã de ontem (15), no auditório do Hospital da Polícia Militar, uma ação voltada para a promoção da saúde do homem.

Segundo Francisco Costa, secretário de Saúde do Estado, mesmo com o fácil acesso aos serviços de saúde, os homens tendem a buscar atendimentos apenas como forma de tratar alguma patologia.

“O Dia Nacional do Homem é uma maneira de sensibilizar esse grupo populacional sobre a importância da prevenção e promoção da saúde. E hoje, mesmo os serviços de saúde estando mais disponíveis, os homens acometidos a patologias, acabam, por sua vez, procurando apenas na hora do tratamento curativo. Precisamos mudar essa realidade e melhorar a qualidade de vida desses homens”, ressalta o secretário.

Para Valdite Costa, coordenadora estadual de Atenção à Saúde do Adulto e do Idoso, o que levam os homens a evitar atendimentos médicos estão ligados a fatores socioculturais, temor a descobertas de doenças e ainda a rotina de trabalho.

“Existe um fator histórico muito grande, porque os homens não vão aos serviços de saúde. Isso acontece por vários fatores, além do sociocultural, por achar que indica fragilidade, já que se sentem fortes e nunca adoecem. Existe o fato do medo de descobrir doenças e também questão institucionais, por falta de horário livre”, esclarece.

O coronel Adercino, diretor-geral do Hospital da Polícia Militar, confirma que o público masculino evita cuidar da saúde. “Diferente do Dia da Mulher, que se trata de uma questão de gênero e luta por direitos iguais, o Dia do Homem é para fazer um alerta, que cuidem mais da saúde. Percebemos que o homem ainda não tem a prática de se prevenir contra doenças. Esse evento aqui, no Hospital da PM, é para chamar atenção dos nossos servidores”, explica.

Durante o evento, o Sesapi esclareceu sobre o pré-natal masculino, que acontece quando o homem, acompanhado de sua parceira, fará um check-list e passe a ser atendido pelos serviços de saúde disponíveis nas unidades de saúde.

Fonte: Virgínia Santos e Márcia Gabriele