Seis mil foram flagrados sem cinto de segurança na capital

Seis mil foram flagrados sem cinto de segurança na capital

Os dados da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans) comprovam isso

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTE SÁBADO (26) DO JORNAL MEIO NORTE

O uso do cinto de segurança ainda não é uma regra em Teresina e a situação é ainda pior quando o assunto é o uso do equipamento no banco traseiro do veículo. Os dados da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans) comprovam isso. Segundo levantamento feito pelo órgão, no primeiro semestre de 2014, foram flagrados seis mil teresinenses trafegando em veículos, sem o uso de cinto de segurança.

O comandante da Companhia Independente de Policiamento de Trânsito (Ciptran), major Adriano Lucena, explica que a maioria dos teresinenses já se conscientizou da necessidade do uso do cinto no banco da frente, já no de trás, as pessoas ainda não usam com a frequência que deveriam. Mas ele afirma que esse é um grande erro, pois as consequências do não uso do acessório no banco de trás são tão graves ou piores do que para quem está sem o cinto no banco da frente.

?Quando acontece algum acidente e a pessoa do banco de trás não está usando o cinto, ela é arremessada para a frente e para os lados, com uma velocidade muito grande e além de correr um risco muito maior de morrer, ela ainda pode matar os demais passageiros do veículos, ao se chocar com eles. Se pensar na multa não estimula a usar o cinto, eu aconselho que pense nas vidas que podem ser salvas?, disse o major Lucena.





Fonte: Pollyana Carvalho