8ª edição da Caminhada do Outubro Rosa reúne 4.500 pessoas nas ruas da capital

8ª edição da Caminhada do Outubro Rosa reúne 4.500 pessoas nas ruas da capital

A caminhada teve o objetivo de atrair a atenção das mulheres sobre a importância do diagnóstico precoce na cura do câncer de mama

Na 8ª edição da Caminhada do Outubro Rosa, 4500 pessoas participaram engajadas no combate ao câncer de mama, na manhã de ontem. A concentração teve início às 7 horas no adro da Igreja de São Benedito e seguiu ao longo da Avenida Frei Serafim, em direção à sede da Fundação Maria Carvalho Santos, no Bairro Ilhotas, que lidera a mobilização no Estado do Piauí.

A caminhada teve o objetivo de atrair a atenção das mulheres sobre a importância do diagnóstico precoce na cura do câncer de mama. A Fundação Maria Carvalho atua na prevenção, controle e apoio a pessoas com a doença.

Após a caminhada, durante todo o dia, as mulheres presentes puderam ser atendidas por 30 profissionais, entre médicos e enfermeiros, que realizaram exames clínicos nas participantes.

Na ocasião, 500 mulheres, que passaram pela triagem, receberam encaminhamentos para o exame de mamografia, que pode ser feito durante todo o mês de outubro na rede credenciada pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O evento também teve show musical, com a participação de um coral de mulheres que venceram a doença.

A madrinha da campanha, pelo segundo ano consecutivo, Vânia Guerra, considera o convite como uma missão importantes e deixa um recado para as mulheres. ?Esta campanha é como um alerta para que não tenham medo, que façam o exame e reconheçam que a doença é totalmente tratável.

As chances são muito grandes?, disse. No Brasil, o número de mulheres que morrem com a doença é de 12 mil por ano. Lírio Cipriani, presidente do Instituto Avon, apoiador da campanha, prioriza as ações que possuem trabalhos relevantes e elogia a ação no Piauí.

Contudo, ele reforça que o Brasil ainda precisa avançar no combate ao câncer e que os números ainda são alarmantes. ?Esta é uma campanha que prioriza a informação sobre a detecção precoce da doença, já que é inaceitável que 35 mulheres morram por dia por algo que tem cura.

No entanto, o sucesso deste evento me fez perceber como as pessoas começam a vibrar com a mobilização pelo combate à doença?, disse.

Francisca Macêdo, 43 anos, considera extremamente importante as ações do Outubro Rosa e participa pela quarta vez. ?Eu acho excelente esta oportunidade, não só pelo exame, mas por ver que as mulheres estão se cuidando mais, que a procura pelo atendimento médico tem crescido. Eu já vi muitas conhecidas sofrendo com a doença e sei que posso evitar esta situação comigo?.

A Fundação Maria Carvalho Santos atende cerca de 3 mil mulheres piauienses, com as ações que ocorrem durante o ano e envolvem, por exemplo, acompanhamento psicológico, fisioterápico e distribuição de medicamentos essenciais ao tratamento do câncer.

Fonte: Samira Ramalho