A nova onda dos chás

O chá virou bebida da moda e usado principalmente para manter a boa forma e a saúde

Foi-se o tempo em que tomar chá era coisa de quem estava doente. Atualmente, o chá virou bebida da moda e usado principalmente para manter a boa forma e a saúde. Não estamos falando dos popularmente conhecidos chás de malva, hortelã ou camomila ? ervas facilmente encontradas no Mercado Velho, e sim os extraídos da planta Camellia sinensis, como os chás verde e branco, encontrados em folhas desidratadas e cápsulas em farmácias de manipulação.

Os chás verde e branco destacam-se pelas funções terapêuticas, como a prevenção contra diversos tipos de câncer e principalmente ao seu poder emagrecedor. Ambos possuem níveis concentrados de substâncias que agem na prevenção do câncer, como as catequinas e os polifenóis. Também combatem os radicais livres, protegendo as células e retardando o envelhecimento com mais eficiência que as vitaminas C e E. Ajudam a emagrecer e reduzem os teores de colesterol ruim.

?O chá verde diminui a absorção de carboidratos, aumenta o metabolismo, ajuda reduzir o colesterol e previne o diabetes. Geralmente se prescreve para quem quer perder peso. Por aumentar o metabolismo, é recomendado tomar o chá antes de atividades físicas, por exemplo?, relata a nutricionista Adriana Karla Silva, da Cooperativa de Nutricionistas de Teresina.

Segundo a nutricionista, o chá verde e o branco possuem características semelhantes. ?O branco, por exemplo, tem características do chá verde como a o aumento do metabolismo?, explica. As diferenças entre os chás verde e branco ocorre no processo de colheita e desidratação da folha. O chá verde tem as folhas aquecidas e secas, resultando na oxidação dos seus componentes. Seu sabor é um pouco amargo. Já o chá branco é elaborado a partir do broto da Camellia sinensis e não passa por esse processo, assegurando uma concentração maior dos princípios ativos.

?O chá deve ser consumido de acordo com a pessoa. O consumo depende do peso, idade e altura. No geral não deve passar de 500ml por dia ou duas xícaras?, alerta a nutricionista. O cuidado é para a ingestão em excesso da bebida por causa da presença da cafeína. A substância, também presente no café, pode aumentar a pressão arterial e causar problemas como taquicardia, dor de cabeça e náuseas. ?Quem tem problemas com o consumo de cafés e refrigerantes, por exemplo, deve do mesmo jeito moderar o consumo de chá?, diz Adriana Karla.

Outro cuidado é com a preparação da bebida. ?Aquele chá verde industrializado não tem todas as funções do chá vendido em folhas encontrados nas farmácias de manipulação. Também deve-se atentar no momento de ferver o chá?, recomenda a nutricionista. Nas farmácias os chás são facilmente encontrados em capsulas, em pó e folhas desidratadas.

Por último ela faz um alerta. ?Cada chá possui uma propriedade diferente e que trará benefícios diferentes. Antes de começar a consumir algum tipo de chá deve-se sempre procurar o profissional, afinal não se sabe que efeitos àquela bebida pode ter na pessoa?, finaliza Adriana Karla Silva.

Chás Amarelos

O chá amarelo é derivado da mesma planta do chá verde, a Camellia sinensis . Até a produção é semelhante à do chá verde diferindo somente no processo de secagem onde as folhas repousam até ficarem amareladas. Tem sabor mais suave que o chá verde.

Mais emagrecedor e diurético do que o chá verde, o chá amarelo é rico em polifenóis, um antioxidante que evita o envelhecimento da pele. Possui ainda cafeínas e substâncias com efeito diurético evitando a retenção de líquidos e facilitando a digestão.

Fonte: Rodolfo Ribeiro