Abeiva se manifesta sobre novas medidas do governo brasileiro

A entidade concorda com a aplicação do sistema de liberação não automática de veículos provenientes da Argentina.

A Abeiva (Associação Brasileira dos Importadores de Veículos) solta uma nota à imprensa esclarecendo seu parecer sobre as novas exigências do governo brasileiro em relação às importações de veículos. A entidade concorda com a aplicação do sistema de liberação não automática de veículos provenientes da Argentina, diante do fato de o país vizinho ter adotado medidas protecionistas contra produtos brasileiros, contrariando acordos bilaterais.

Porém, a entidade não concorda com extensão dessas medidas a veículos provenientes de outros países. Esclarece que, com o intuito de não prejudicar a indústria local, as associadas à Abeiva recolhem como pênalti 35% de alíquota de importação, além de toda a carga tributária. Este ano, mais de R$ 5 bilhões em impostos aos cofres públicos.

As marcas associadas à Abeiva, nos primeiros quatro meses de 2011, comercializaram 51.698 unidades, o que representa apenas 4,92% do mercado total interno de veículos (1.053.381 unidades) e 21,15% dos veículos importados (244.442 unidades) que entram no País. A diferença de 192.269 veículos importados comercializados, que representam 79,85% do total, são importados por montadoras nacionais, sendo que a grande maioria através de acordos bilaterais com isenção de imposto de importação.

Fonte: Auto Esporte