Abraço simbólico marca ato contra fechamento de hospital na z.Leste de THE

Abraço simbólico marca ato contra fechamento de hospital na z.Leste de THE

Moradores da região pedem pela não interrupção dos serviços ambulatoriais, de urgência e cirurgias realizadas no Hospital São Carlos Borromeo

Uma manifestação foi realizada na manhã de ontem na frente do Hospital São Carlos Borromeo, no bairro Pedra Mole, na zona Leste de Teresina. Segurando faixas e cartazes, moradores de diversas comunidades da área pediram que não ocorra a interrupção dos serviços ambulatoriais, de urgência e cirurgias. O hospital é mantido pela Fundação Padre Antonio Dante Civiero (Funaci).

O temor dos moradores é a concretização de um projeto da Prefeitura que determina que o hospital servirá para integrar o projeto Rede de Cuidados Integrados, recebendo apenas pacientes do HUT (Hospital de Urgência de Teresina) e HGV (Hospital Getúlio Vargas) para internação pós-operatório.

O protesto começou com pronunciamentos de diversos líderes comunitários da região da grande Socopo, e em seguida os moradores deram um abraço simbólico na unidade de saúde, que tem duas décadas de funcionamento. Também foi feito um abaixo-assinado solicitando que o hospital continue oferecendo os atendimentos.

A assistente social Maria Lucília Randon, que trabalha no hospital, manifestou apoio aos moradores. ?Esta unidade foi pensada para atender aos mais necessitados, e é isso que estamos fazendo. Os serviços não podem parar?, disse ela.

O líder comunitário do bairro Cidade Jardim, Sebastião da Silva Rocha, também pediu que os serviços sejam mantidos. ?Ou nos unimos ou vamos perder nossos atendimentos. Se essas medidas forem concretizadas, todos nós precisaremos recorrer ao hospital do Satélite, que já se encontra sobrecarregado?.

O padre Humberto Pietrogrande, fundador do hospital, esteve no protesto. ?Ao ver este abraço simbólico, me sinto abraçado também. Esse é o sinal de uma amizade que construímos com essa comunidade, e que ainda vai durar muito?, disse ele. Os vereadores Teresa Britto (PV) e Paulo Roberto da Iluminação (PTB) estiveram no protesto. Teresa Britto disse que o ideal seria permitir a integração do hospital ao projeto da rede municipal de saúde, mas sem penalizar a população da área. ?Dá para fazer as duas coisas, mediante uma ampliação do hospital?, argumentou a vereadora.

Fonte: Dowglas Lima