Acidentes de moto quase sempre geram sequelas definitivas, aponta HUT

Acidentes de moto quase sempre geram sequelas definitivas, aponta HUT

Imprudência, ausência de equipamentos de proteção e ingestão de bebidas alcoólicas são as principais causas de acidentes envolvendo motos em Teresina

O Hospital de Urgência de Teresina tem um dado alarmante em mãos: os acidentes envolvendo motocicletas correspondem a 80% de todos os incidentes de trânsito no Piauí. Imprudência na pista, não uso dos equipamentos de proteção necessários e ingestão de bebida alcoólica estão entre as causas principais, mas nem todas as ocorrências são causadas por culpa do condutor. De acordo com o diretor geral do HUT, Gilberto Albuquerque, casos de acidentados que entram no hospital por conta da imprudência de carros são frequentes.

Em um dia tranquilo, cerca de 20 pacientes dão entrada no HUT com fraturas graves originadas em acidentes de moto. Somente em 2014, mais de 12 mil vítimas de acidentes com moto foram tratadas no hospital, que recebeu apenas 1.398 vítimas de acidentes com carro. Na tentativa de reduzir essas ocorrências, o departamento de psicologia do hospital realiza um trabalho contínuo de prevenção e conscientização com os pacientes. A medida busca diminuir a reincidência de vítimas, mas segundo o diretor geral do Centro Médico, parece que os motociclistas ainda não aprenderam a lição.

“Como motocicletas são veículos mais frágeis e com menos estabilidade, o condutor da moto acaba sendo o mais prejudicado”, indica Gilberto Albuquerque. São acidentes cada vez mais graves, onde o envolvido geralmente sofre múltiplas fraturas que requerem um tratamento multidisciplinar da equipe médica, que fica com o atendimento de ortopedia e traumatologia congestionado. A população em geral acaba diretamente prejudicada, pois os profissionais estão majoritariamente empenhados em atender os acidentados.

Logo, pilotar com prudência nunca é demais. Acidentes de moto são a principal causa de deformidade física em condutores piauienses e muitos acidentados perdem membros, podem sofrer traumatismo craniano ou ficar com sequelas definitivas que podem impossibilitar o retorno ao mercado de trabalho. Sem falar na invalidez permanente. O alerta vai especialmente para os condutores de moto, sempre os maiores afetados nas intempéries do trânsito.

“Qualquer pessoa que sofre um trauma minimamente grave não retorna ao seu estado normal. É preciso conscientizar todos os condutores de trânsito para que as imprudências na pista ocorram cada vez menos. Mesmo com o governo investindo em medidas paliativas decorrentes de acidentes e em campanhas educativas na tentativa de valorizar a vida e conscientizar os condutores, os números não diminuem”, indica o neurocirurgião do Hospital de Urgência de Teresina (HUT), Daniel França.


A reportagem do Jornal Meio Norte procurou insistentemente o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PI) e a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito de Teresina (Strans) para conhecer e divulgar as campanhas preventivas realizadas no Piauí. Até o fechamento desta edição, nenhum dos órgãos se pronunciou sobre o caso.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Olegário Borges