Acidentes têm aumentado por causa do celular

Acidentes têm aumentado por causa do celular

Mesmo com os inúmeros alertas, o motorista ainda acredita que uma ligação rápida ao volante não oferece risco.

Atender o telefone celular enquanto dirige só para pedir que liguem depois. Quem nunca fez isso? Muitas pessoas acreditam que esses poucos segundos ao celular são inofensivos e não lhes trará perigo algum.

No entanto, segundo o comandante da Companhia Independente de Policiamento de Trânsito (CIPtran), major Adriano Lucena, o que elas não sabem é que só ao ouvir o toque do celular e procurá-lo para atender, seu risco de acidentes já se elevou em quase 100%.

Diante de tanto perigo, autoridades do trânsito são taxativas ao afirmarem que celular e direção não combinam. ?No trânsito as coisas acontecem muito rápido e as pessoas precisam estar atentas o tempo todo. E atenção e uso do celular não combinam quando o ambiente é o trânsito. Quando o celular toca, o cérebro trabalha em quatro frentes:

a audição, a verbalização, dá atenção ao que está ouvindo e tudo isso guiando um veículo com toda a atenção que requer o trânsito. Por isso, os riscos de acidente aumentam muito?, alertou.

Um estudo divulgado no final do ano passado mostra que usar o telefone celular para conversar enquanto se dirige é tão perigoso quanto ingerir bebidas alcoólicas. O perigo é similar a uma embriaguez moderada.

O resultado do estudo realizado na Universidade de Rostok, na Alemanha, mostrou que o tempo de reação de pessoas conversando ao telefone era menor do que pessoas que tinham entre quatro e cinco gramas de álcool por 100 ml de sangue. A pesquisa mostra que, ao usar o celular, a resposta a estímulos que requeiram atenção também diminui, dentre uma série de outros pontos.


Acidentes têm aumentado por causa do uso do telefone celular

O major Lucena afirma que a postura mais adequada do condutor é deixar o celular no silencioso, para que quando o aparelho tocar, ele não o escute e isso não desvie sua atenção do trânsito. Se em hipótese alguma, o condutor puder deixar de atender a ligação, ele aconselha que o carro seja estacionado e só depois se inicie a conversa.

?Fazer isso evita muitos perigos no trânsito e diminui muito o risco de acidentes?, disse.

Escrever mensagens no celular enquanto dirige é outro vilão dos motoristas mais descuidados. Em tempos de smartphones e da disseminação da internet nos aparelhos móveis está se tornando uma prática cada vez mais comum, enquanto enfrenta o trânsito lento do horário de pico, o acesso, pelo celular, às redes sociais, e-mails e até mesmo o envio de SMS ou torpedos. Dados da Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego), no entanto, mostram que digitar mensagens no celular podem aumentar em em até 23% os riscos de acidentes.

Motociclistas correm mais risco de acidente ao atender celular

Engana-se quem pensa que atender o celular enquanto dirige é uma prática atribuída apenas aos motoristas de carros. Os motociclistas, segundo o major Lucena, também contribuem para o crescimento das estatísticas de infrações ligadas ao uso do celular no trânsito. Os perigos de se envolver em acidentes, no entanto, nesse caso, são bem maiores.

O motociclista Joacy Araújo conta que atender o celular quando ele toca no trânsito acaba sendo uma prática comum e que é feita com naturalidade por ele. ?Quando o telefone toca, eu o coloco dentro do capacete e atendo a ligação. Outras vezes eu o retiro e outras eu paro a moto para atender, mas não é sempre. Sei dos perigos que corro fazendo isso, mas atender acaba sendo uma reação natural?, disse.

Para o motociclista, os riscos aumentam muito nestes casos. ?A moto é um veículo de duas rodas, portanto o equilíbrio não é algo fácil e se equilibrar desviando a atenção entre o trânsito e o celular é mais complicado ainda.

O condutor acaba reagindo de forma mais lenta, não usa o retrovisor e tudo isso contribui para a ocorrência de acidentes?, pontuou.

Alguns motociclistas, assim como motoristas de carros, optam pelo uso do fone de ouvido na hora de atender as ligações no trânsito. Esse também não é um comportamento adequado, pois, apesar de não obrigar a retirada de uma das mãos do volante, desvia, da mesma forma, a atenção do condutor para a conversa. ?As pessoas têm uma capacidade muito grande de burlar regras, bem maior do que a capacidade de se adequar a elas, mas isso traz consequências muito sérias?, disse.

Dados da Ciptran mostram que em 2011 foram registradas 173 autuações de motociclistas dirigindo e falando ao celular. Essa é uma infração punida com multa de R$ 85,13 e perda de quatro pontos na certeira.

Fonte: Pollyanna Carvalho