Adeft identifica pontos sem acessibilidade

Calçadas , letreiros, estacionamento e até mesmo os vendedores de água de coco foram identificados como pontos que atrapalhamo deslocamento das pessoa

As obras de revitalização do centro da cidade estão previstas para ser entregues no dia 31 de março, no entanto, as entidades de defesa aos deficientes físicos já observam falhas na acessibilidade do local.

Calçadas , letreiros, estacionamento e até mesmo os vendedores de água de coco foram identificados como pontos que atrapalhamo deslocamento das pessoas com dificuldades de locomoção, como idosos e deficientes físicos.

Para discutir esse assunto, representantes da Associação dos Deficientes Físicos de Teresina se reuniram na tarde de ontem com o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura. As duas entidades devem fazer uma vistoria oficial ao centro da Cidade e emitir um documento à Prefeitura Municipal de Teresina.

De acordo com o presidente da Adeft, Alexandre Almeida, será exigido algumas mudanças antes que as obras sejam concluídas. ?Toda obra tem que ter acessibilidade e identificamos alguns pontos falhos. As calçadas de algumas lojas, por exemplo, não tem rampas de acesso?.

Outro ponto que prejudica o deslocamento dos deficientes físicos no centro da cidade, segundo Alexandre Almeida, é a presença de estacionamento para bicicletas e também carrinhos de venda de água de coco. ?Qualquer obstáculo que tenha no lugar reservado para pedestre atrapalha o deslocamento, sobretudo dos deficientes visuais, deficientes físicos e idosos?.

Fonte: Carolina Durães, Jornal Meio Norte