Adolescente dá à luz no Metrô

O parto foi feito por dois funcionários no posto de atendimento médico da estação

Uma adolescente de 15 anos deu à luz a uma menina por volta das 13h30 desta segunda-feira (19) na estação Santo Amaro do Metrô, linha 5 (lilás), na Zona Sul de São Paulo. O parto foi feito por dois funcionários no posto de atendimento médico da estação, segundo a assessoria de imprensa do Metrô.

Em seguida, a criança e os pais foram encaminhados para o Hospital Regional Sul, também em Santo Amaro, onde o bebê passou por exames. De acordo com a assessoria do Metrô, este foi o 16º parto realizado em uma estação da empresa. O primeiro aconteceu em 1976. Todas as estações, segundo a assessoria, contam com funcionários treinados para este tipo de situação.

Apesar disso, o susto foi grande, já que a mãe é menor e o parto foi prematuro, de sete meses, segundo Ronaldo Bernardino Gomes, pai da menina, que se chamará Roberta. ?Eu já tinha visto alguns partos, mas nunca tinha feito um. E não tinha como fugir daquela situação. Felizmente, foi tudo bem e nasceu sem problemas?, contou a agente de estação Eufride Marlene Barella, mais conhecida como Tuca.

Depois do nascimento da criança, Tuca contou que começou a chorar de emoção. ?Ontem (segunda) à noite fui dormir achando que não tinha acontecido nada daquilo?, disse. De folga nesta terça-feira (20), Tuca contou que planeja fazer uma visita para a menina no hospital. ?Já comprei um presentinho para levar para ela?, revelou.

Segundo Ronaldo, a mãe da criança vinha sentindo dores e, por isso, decidiu levá-la para a casa da mãe dela, no Jardim São Luís. Ao se aproximarem da estação, vindos de Barueri, onde moram, estourou a bolsa e a adolescente entrou em trabalho de parto. ?No momento, todo mundo ficou nervoso. Mas o pessoal do Metrô foi bem legal. Depois que nasceu e viram que o bebê estava bem, todo mundo ficou emocionado?, contou Ronaldo.

Segundo ele, a menina está em uma incubadora, por ter nascido prematura, e, segundo os médicos, ela e a mãe passam bem.

Fonte: g1, www.g1.com.br