7 motivos para estudante de direito ser advogado correspondente

7 motivos para estudante de direito ser advogado correspondente

A função de Advogado Correspondente pode ser muito lucrativa

A correspondência jurídica ou advocacia de apoio, é uma boa opção para quem está estudando Direito a partir do 7º período, pois traz conhecimento prático fora do ambiente da academia. Além de experiência, o estudante também ganha uma renda extra.

Para conseguir atuar nessa área é necessário ter autorização da OAB para estágio.

Para você que ficou curioso e quer saber mais coisas sobre a advocacia por correspondência, confira as nossas dicas:

1. Faturamento extra

Em comparação à bolsa-auxílio oferecida em muitos estágios, a função de Advogado Correspondente pode ser muito mais lucrativa. Por ser um trabalho sem vínculo empregatício e sem regularidade de salário, o profissional que realiza uma quantidade razoável de audiências mensais consegue ganhar mais do que se estivesse exercendo estágio tradicional.

2. Aquisição de know-how em diversos serviços

Ao optar pela Correspondência Jurídica, o estudante pode adquirir experiência em diversos serviços essenciais, como acompanhamento de julgamentos, realização de diligências, despachos, cópias de processos e outros. Adquirindo tais experiências profissionais, o jovem advogado passará a exibir um currículo mais diversificado e distinto, ajudando-o a conseguir um melhor posicionamento no mercado.

3. De olho no Projeto de Lei 1189/07

Somente alunos a partir do 7º semestre de Direito podem atuar profissionalmente em estágios supervisionados pela OAB. Mas em junho de 2013, foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça e tramita pela Câmara o PL 1189/2007 que antecipa para o 5º semestre do curso de Direito a possibilidade do estudante atuar em estágios supervisionados pela OAB em escritórios de advocacia e instituições jurídicas.

4. Aprimoramento da postura profissional

O contratante do Advogado Correspondente é o escritório de Advocacia ou o Advogado e não o cliente final. Esta independência possibilita ao Audiencista desenvolver determinadas posturas profissionais imprescindíveis como oratória, ética, postura, pontualidade e responsabilidade. Essa experiência profissional traz um aprendizado sem igual.

5. Perfil facilmente visível aos escritórios e advogados

Para se tornar Advogado Correspondente, basta cadastrar seu perfil em uma plataforma de Correspondentes online. Uma vez cadastrado em uma plataforma, seu perfil será facilmente encontrado por advogados e escritórios de todo o Brasil, que precisam de um profissional para cumprir a diligência em sua região.

6. Possibilidade de adquirir experiência

Ser Advogado Audiencista é uma excelente forma de vivenciar a primeira experiência profissional, exercendo uma função cada vez mais usada pelos escritórios e que não exige ampla aptidão técnica. O estudante de Direito também atuará com digitalização de processos ou protocolo de petições, serviços simples, mas que podem dar lhe dar uma ideia mais precisa do funcionamento do mercado de trabalho.

7. Ampliação de networking

Atuando nesta modalidade de advocacia, o estudante de Direito ou recém-formado pode prestar diligências para escritórios e outros profissionais de todo o Brasil sem sair de sua região. Prestando um bom trabalho, você será capaz de ampliar sua rede de contatos.

Fonte: Apvogo