Advogada diz ter sido agredida por deputado no Rio de Janeiro

O deputado informou não conhecer a mulher que o acusa das agressões

Uma advogada de 40 anos diz ter sido agredida pelo deputado Estadual do Rio de Janeiro Samuel Corrêa da Rocha Junior, o Samuquinha (PR). Segundo a Polícia Civil, Christine Calixto foi até o 37º DP, da Ilha do Governador, no último dia 13 e denunciou o deputado por lesão corporal. Ela teria apresentado diversos hematomas de uma suposta agressão sofrida no Iate Clube Jardim Guanabara, na Ilha do Governador.


Advogada diz ter sido agredida por deputado no Rio de Janeiro

Segundo o boletim de ocorrência, os dois tinham um relacionamento amoroso desde julho deste ano. No dia da agressão, eles estavam passando um final de semana no barco do deputado. Segundo a advogada, inesperadamente, Samuquinha começou a acusá-la de traição e partiu para a agressão.

De acordo com a polícia, a mulher relatou que, por volta das 17h, foi empurrada e caiu de cabeça no barco e acabou desmaiando. Quando recobrou a consciência, ela informou que levou uma rasteira e começou a ser agredida a chutes na região da barriga e ombro. Logo depois, o deputado teria pegado o sapato da advogada e batido diversas vezes na cabeça dela.

Procurado pelo Terra, Samuquinha informou, por meio de sua assessoria, que as informações apresentadas pela advogada são mentirosas e que serão tomadas medidas legais contra ela em um processo por calúnia. O deputado, que chegou a disputar a prefeitura de Duque de Caxias este ano, informou ainda que não conhece Christine. "Jamais faria isso. Isso é um absurdo", disse.

A polícia informou que o inquérito continua aberto e todas as versões serão investigadas.

Fonte: Terra