Advogado afirma que Bruno Fernandes voltará ao Flamengo após ganhar liberdade

Advogado afirma que Bruno Fernandes voltará ao Flamengo após ganhar liberdade

Ele está preso desde julho de 2010, acusado do assassinato de sua amante, Eliza Samúdio.

O ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes Souza, deve voltar a jogar pelo clube. É a opinião de Rui Pimenta, advogado de Bruno. Segundo Pimenta, Bruno treina diariamente na Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria, em Contagem (MG), com o objetivo de retomar a carreira assim que ganhar a liberdade.

Ele está preso desde julho de 2010, acusado do assassinato de sua amante, Eliza Samúdio.

- Se o Supremo atender meu pedido de habeas corpus, ele volta para o Flamengo e vai jogar futebol. Ele está bem, treina todos os dias - declarou Pimenta à revista Veja.

O pedido de habeas corpus impetrado por Pimenta deve ser julgado em fevereiro, após o recesso do Judiciário, e, caso seja concedido, garantirá a libertação de Bruno, mas não em caráter definitivo.

Para reconquistar a liberdade, sem restrições, Bruno precisa ser absolvido no julgamento que está previsto para ocorrer em março deste ano. Bruno tem contrato com o clube até 31 de dezembro de 2012, mas o vínculo está suspenso desde que o caso do suposto assassinato de Eliza Samúdio se tornou público.

Pimenta acredita que o carinho da torcida rubro-negra por Bruno garantirá seu retorno, mas ressalta que outros clubes têm interesse em contar com o, hoje, ex-goleiro.

- Na hora que ele sair da prisão, o Flamengo vai ter que acertar o negócio - declarou o advogado após citar o interesse de clubes do Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia no ex-jogador, sem especificar quais são.

Rafael de Piro, advogado do Flamengo, não se mostra tão otimista quanto Pimenta em relação ao possível retorno de Bruno ao Fla, mas deixa claro que, caso o ex-goleiro seja libertado antes do fim do contrato com o clube, caberá à presidente Patrícia Amorim decidir sobre o assunto.

- A decisão é da presidente Patrícia Amorim, mas, pelo que ela já comentou em relação ao caso, acredito que ele não volta - declarou de Piro à Veja. Bruno responde pelos crimes de homicídio qualificado, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver.

Fonte: Yahoo