Agespisa tem processo administrativo instaurado

A empresa será notificada e terá um prazo de 15 dias para tomar providências que solucionem o problema

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA QUARTA-FEIRA (30) DO JORNAL MEIO NORTE.

Os problemas com abastecimento de água no Residencial Jacinta Andrade levou a Coordenação Geral do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor instaurar processo administrativo contra a Agespisa. A empresa será notificada e terá um prazo de 15 dias para tomar providências que solucionem o problema, através de Termo de Ajuste de Conduta (TAC).

O assessor jurídico do Procon, Tercio Ralf, explica que a medida se fez necessária diante das reclamações constantes de irregularidade no abastecimento de água no local, publicadas na imprensa, nas últimas semanas. ?Nós sabemos que há três meses esse abastecimento está irregular e tivemos notícias de que nos últimos dias, ele teria cessado por completo. E foi isso que nos levou a instaurar processo administrativo?, disse.

Se a Agespisa não solucionar o problema no prazo mínimo estipulado, ela será penalizada com o pagamento de multa. Segundo o assessor jurídico, o Procon sempre recebe reclamações de moradores de Teresina em relação ao abastecimento de água, em alguns bairros da cidade. No caso do Residencial Jacinta Andrade nunca havia sido registrada nenhuma reclamação. ?Desde ontem eles começaram a reclamar, acho que por saber que instauramos esse processo. Mas deve ser esse o posicionamento dos consumidores de qualquer serviço que não é oferecido a contento?, afirmou.

O Jornal Meio Norte entrou em contato com a Agespisa, por meio de sua Assessoria de Imprensa, mas, até o horário de fechamento dessa matéria, não obteve retorno.

Fonte: Pollyana Carvalho