"Agora a gente até ri", diz esposa de homem que cravou serra na barriga

"Agora a gente até ri", diz esposa de homem que cravou serra na barriga

Frida Maria Steinmedc aguarda recuperação do marido que está no CTI.

Aliviada após o susto, Frida Maria Steinmedc, mulher do agricultor que percorreu 50 km com uma serra presa na barriga até retirá-la no hospital, agora acompanha de perto os cuidados em Santa Rosa, na Região Noroeste do Rio Grande do Sul, onde o homem de 56 anos está internado. Gregório Steinmedc está com quadro estável, mas segue internado no CTI para ser monitorado mais de perto. Além do acidente com a motosserra, o agricultor passou por um transplante de rim há dois anos.

Na manhã desta quinta-feira (13), Frida visitou o marido, que passava bem. ?Na hora eu pensei ?é hoje que ele vai morrer?. Agora a gente até ri, ele ficou famoso na internet e não aconteceu o pior?, disse Frida.

Sonolento por conta dos medicamentos, a assessoria do Hospital Vida e Saúde confirmou que ele está lúcido e em observação. A mulher está dormindo em casa, mas conta com o apoio de familiares na espera pela recuperação. Os dois filhos do casal também viajam para a cidade para ficar com a mãe.

O homem realizou um transplante de rim há dois anos e é considerado um paciente de alto risco. ?Quantas vezes já acompanhei ele no CTI. Eu achei que ele tinha cortado o rim, mas pegou do outro lado. Senão, não ia ter volta. Não pegou nenhum órgão?, comemorou a gaúcha.

No dia do acidente, um procedimento cirúrgico de duas horas precisou ser feito para a retirada do objeto. Mais cedo, Gregório usava uma serra elétrica para cortar madeira e a fincou na barriga. ?Nem ele sabe dizer como aconteceu. Foi muito rápido. Ele estava querendo puxar e eu não deixei?, recorda, emocionada, Frida.

Na hora do sufoco, a mulher lembrou de uma lição aprendida nas aulas de primeiros socorros que fez para obter a permissão para dirigir. ?Eu estava tremendo. Minha primeira reação foi ligar para um vizinho para nos levar para o hospital. Deu tudo certo?, relembra.

Segundo o cirurgião Maurício Romano, responsável pelo procedimento, o corte causado pela motosserra teve 10 cm de profundidade. A postura da mulher do agricultor e das enfermeiras que o atenderam ainda em Campina das Missões salvaram a vida dele, diz o médico.

Fonte: G1