Água ficará mais cara a partir de março

A partir de 1º de março deste ano, a tarifa de água e esgoto cobrada pela Agespisa terá reajuste linear de 3,8%,

A partir de 1º de março deste ano, a tarifa de água e esgoto cobrada pela Agespisa terá reajuste linear de 3,8%, índice abaixo da inflação medida pelo INPC (Índice Nacional de Preço ao Consumidor), que foi de 4,1%. A política de revisão tarifária adotada pela direção da empresa tem como meta colocar a tarifa da Agespisa entre as cinco mais baratas praticadas pelas 24 empresas estaduais de saneamento do país.

"Estamos reduzindo o preço real da água. Para se ter uma ideia dessa redução, neste ano, o salário mínimo teve um reajuste de 9,67%, aumento três vezes maior do que o da nossa tarifa", ressalta o presidente da Agespisa, Merlong Solano, informando que a tarifa social, que beneficia mais de 30 mil famílias, já é a oitava mais barata entre as empresas estaduais do Brasil.

A tarifa residencial não social, para consumo de até 10 mil litros de água por mês, vai passar de R$ 16,60 para R$ 17,25. Nesta categoria, são 445,2 mil ligações, que representam mais da metade do total. Para as demais faixas de consumo e as ligações comerciais, industriais e públicas a majoração obedece à tabela abaixo.

"A política tarifária implementada pela Agespisa é socialmente responsável. A cada ano, nosso desafio é o de recompor, mesmo que parcialmente, o equilíbrio entre as tarifas e os custos operacionais sem elevar os preços dos serviços prestados pela companhia", destaca Merlong.

Para o presidente, a aplicação de um reajuste menor a cada ano tem sido possível, porque a Agespisa está em franco processo de recuperação, combatendo as perdas de água, reduzindo as ligações clandestinas, as fraudes e aumentando o número de clientes por meio de novos investimentos. "Com essas e outras medidas, nossa arrecadação deverá chegar a R$ 229,5 milhões ao final do ano, o que possibilitará o equilíbrio entre receita e despesa", avalia.

Fonte: Agespisa