Ainda em coma induzido, cienasta Fábio Barreto tem evolução satisfatória

De acordo com boletim médico divulgado, o estado clínico do cineasta ainda é grave, mas estável

Fábio Barreto foi submetido, na manhã deste sábado, 26, a exames de tomografia computadorizada que demonstraram evolução satisfatória, segundo boletim médico. O cineasta permanece internado na Unidade Neuro-Intensiva do Hospital Copa D"Or, em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, em coma induzido e respirando com a ajuda de aparelhos.

De acordo com boletim médico divulgado, o estado clínico do cineasta ainda é grave, mas estável. Fábio mantém estabilização da pressão intracraniana e dos parâmetros clínicos. Novos exames de imagem serão realizados no início da próxima semana. A pressão intracraiana está controlada devido ao cateter que foi inserido na segunda-feira, 21, no crânio do cineasta.

O cateter ajuda a diminuir a pressão intracraniana e reduzir o edema, e ainda permite que o líquido acumulado no cérebro por causa da lesão seja drenado, diminuindo o inchaço. O cineasta não apresenta complicações clínicas e nem infecções. Se o quadro clínico de Fábio Barreto não apresentar alterações nos próximos dias, a expectativa dos médicos é que, a partir da próxima semana, o cateter e o sedativo comecem a ser retirados.

A calota craniana do lado esquerdo que foi retirada e colocada na costela de Fábio Barreto pode ser colocada novamente em seu lugar caso o inchaço do cérebro continue diminuindo. A maior preocupação dos médicos é impedir que as lesões se tornem definitivas. A área do crânio mais afetada, de acordo com o neurocirurgião, é o lado esquerdo, responsável pela memória e pela linguagem.

Fábio Barreto capotou com o carro na noite de sábado, 19, na rua Real Grandeza, em Botafogo, na zona sul do Rio. O cineasta foi internado às 9h20 deste domingo no Copa D"Or, para onde foi transferido após ser atendido no Hospital Miguel Couto, onde, durante a madrugada, foi submetido a uma craniotomia descompressiva para tratamento de hematoma subdural agudo por conta de um traumatismo craniano.

O mais recente trabalho do cineasta é Lula, o Filho do Brasil, que, com um orçamento de R$ 12 milhões, estreia no Brasil no dia 1º de janeiro. Baseado no livro homônimo de Denise Paraná, o filme reconta a infância pobre do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, recria a relação com a mãe e retrata o sindicalista que mobilizava multidões.

Fonte: Terra, www.terra.com.br