Air France diz que vai trocar sensores de aviões após acidente com Airbus

O equipamento é apontado como um das principais causas do acidente com o Airbus, na noite de domingo (31)

A companhia aérea Air France anunciou nesta terça-feira que vai substituir dentro de alguns dias os sensores de velocidade de suas aeronaves Airbus A330 e A340, após o acidente com o voo AF 447 com 228 pessoas a bordo, no trajeto Rio-Paris. O sindicato de pilotos da empresa havia pedido a suspensão dos voos enquanto a empresa não realizasse a manutenção.

O equipamento é apontado como um das principais causas do acidente com o Airbus, na noite de domingo (31). Aparentemente, os sensores falharam nos minutos imediatamente anteriores ao acidente, segundo 24 alertas automáticos enviadas pelo avião, acarretando na falha de sistemas eletrônicos como o piloto automático.

"A direção da Air France convocou os sindicatos de pilotos na noite desta segunda-feira para informá-los do estado das trocas dos sensores e apresentou um calendário [para realizar a manutenção]", informou a Air France, em nota.

O porta-voz do sindicato Erick Derivery afirmou que o Escritório de Investigação e Análise (BEA, na sigla em francês), responsável pelas averiguações sobre a tragédia, apontou os sensores como uma das possíveis causas do acidente, embora ainda não tenha dado uma explicação conclusiva.

Segundo o BEA, esses sensores enviaram informações contraditórias sobre a velocidade do voo AF447 que caiu no Atlântico. O escritório informou que a Airbus havia recomendado, em 2008, a troca desses equipamentos.

Os primeiros problemas nos sensores externos de velocidade Pitot, os mesmos que acusaram falha no voo AF 447 da Air France, foram descobertos pela Airbus há mais de 12 anos. Segundo reportagem do jornal francês "Journal du Dimanche", comunicado de novembro de 1996 já alertava que os parâmetros de medição do instrumento poderiam ser "severamente degradados" em situações de tempestade.

A mensagem cita especificamente como área de risco a "zona de convergência intertropical", região de instabilidade climática que estava na rota do avião da Air France que caiu.

Nesta segunda, o diretor geral do departamento comercial da Airbus, John Leahy, afirmou que o Airbus A330 é um avião muito confiável e defendeu que ainda é muito cedo para tirar conclusões sobre as causas do acidente com o voo 447.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br