Alckmin e outros políticos dão último adeus a ex-ministro

Alckmin e outros políticos dão último adeus a ex-ministro

O velório começou por volta das 10h na Assembleia Legislativa de São Paulo

Amigos, familiares e políticos participam neste domingo (26) do velório do ex-ministro Paulo Renato de Souza, que morreu na noite de sábado em São Roque, no interior de São Paulo, após sofrer um infarto fulminante.

O velório começou por volta das 10h na Assembleia Legislativa de São Paulo. Além de familiares e amigos, alguns políticos participaram do momento de despedida. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, chegou ao local por volta das 12h.

Durante a tarde, estiveram no velório os ministros da Educação, Fernando Haddad, da Cultura, Ana de Hollanda, e dos Esportes, Orlando Silva.

"Foi uma grande perda. Paulo Renato trabalhou muito pela educação do Brasil. Foi o grande responsável pela universalização do acesso ao ensino fundamental com a criação do Fundef (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental)", disse Alckmin.

"Paulo Renato teve uma importância decisiva no governo de Fernando Henrique Cardoso e deixa vasta quantidade de realizações para a educação do Brasil", afirmou o ex-ministro da Fazenda Maílson da Nóbrega. Segundo Nóbrega, Paulo Renato teve o infarto enquanto dançava com a namorada no hotel, onde passava o feriado.

O secretário estadual de Energia, José Aníbal, elogiou o ex-ministro da Educação, afirmando que poucos políticos podem trazer tantos resultados positivos para o setor como ele.

?Ele deixou um legado extraordinário?, disse Aníbal, citando como exemplo a universalização do ensino fundamental e a criação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, também este presente ao velório. "Sempre tive uma relação de amizade com Paulo Renato, o que me fez respeitá-lo como grande homem. Várias vezes no parlamento defendemos propostas juntas. Era um adversário que discutia ideias com coerência e vigor, nunca um inimigo", afirmou ele ao deixar a Assembleia Legislativa.

"Era um amigo e ao mesmo tempo um homem brilhante. Vai fazer falta", disse o secretário de Cultura paulista, Andrea Matarazzo.

?Foi um extraordinário homem público, alguém que fez muito pelo país e nos deixou ensinamentos?, afirmou o prefeito da capital paulista, Gilberto Kassab, que também esteve presente ao velório durante a manhã.

O enterro do ex-ministro está programado para ocorrer nesta segunda-feira (27), às 10h, no Cemitério do Morumbi, em São Paulo.

Infarto

Paulo Renato Souza tinha 65 anos e morreu após sofrer um infarto fulminante. Segundo informações da assessoria do governo do Estado de São Paulo, ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu. Paulo Renato deixou três filhos e seis netos.



Nascido em Porto Alegre, Paulo Renato era formado em economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Um dos fundadores do PSDB, foi Ministro da Educação no governo Fernando Henrique Cardoso (entre 1995 e 2002) e Secretário de Educação do Estado de São Paulo no governo José Serra (entre 2009 e 2010) e no governo Franco Montoro (entre 1984 e 1986).

Fonte: g1, www.g1.com.br