Álcool potencializa reações adversas à medicamentos; veja

Álcool potencializa reações adversas à medicamentos; veja

A educadora de trânsito Audea Lima e o médico Antônio Barros, vieram ao programa Agora, da Rede Meio Norte para falar sobre o assunto.

De janeiro a julho de 2012, o HUT (Hospital de Urgência de Teresina) registrou 8918 pessoas feridas em acidentes de trânsito. O número totaliza 22% dos atendimentos do hospital, e deles, quase 7000 são motociclistas. A educadora de trânsito Audea Lima e o médico coordenador da associação Viva Bem Antônio Barros, vieram ao programa Agora, da Rede Meio Norte para falar sobre o assunto.

O álcool, um dos principais fatores causadores de acidentes de trânsito, foi o principal tema da conversa. Segundo o médico Antônio Barros, não há como precisar uma quantidade de bebida alcoólica segura para a direção. ?Não é possível falar disso pois há pessoas que são mais sensíveis ao álcool, além de condições que causam diferenças no efeito da bebida, como a pessoas estar de estômago vazio?, disse ele. O médico acrescentou que testes de reflexos reprovaram até a quantidade antes considerada segura de duas doses.

A educadora de trânsito Audea Lima disse que o álcool compromete até o uso de medicamentos. ?O álcool no organismo pode agravar as reações adversas aos medicamentos que possam ser administrados ao paciente?. O médico Antônio Barros confirmou as afirmações da educadora, acrescentando que o álcool também potencializa as lesões hemorrágicas.

Sobre as campanhas de conscientização, a educadora falou que elas são importantes, mas as pessoas são diferentes. ?Algumas pessoas se comovem com campanhas mais sensíveis, outras apenas com campanhas mais agressivas?, disse ela, alegando que leis publicitárias impedem a veiculação de campanhas mais fortes, com mensagens mais violentas. ?Mas não há publicidade mais forte do que a que vemos todos os dias, os acidentes reais e as tragédias familiares que todos conhecemos?, completou Audea Lima.

Fonte: Andrê Nascimento