Aluno se embriaga mais nos últimos anos de faculdade, revela pesquisa

Alexandre Fachini, que é professor do curso de Psicologia do Centro Universitário de Araraquara (Uniara), conta que o consumo de bebida álcoolica aumenta no final do curso.


Uma pesquisa feita pelo psicólogo Alexandre Fachini com alunos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, no campus de Ribeirão Preto, em sua tese de doutorado em saúde mental pela USP, mostrou que universitários se embriagam mais nos últimos anos dafaculdade.

O levantamento apontou que o padrão de bebida em excesso se torna mais comum entre os homens no período final da faculdade, indo de 15,4% dos alunos entrevistados quando estavam nos anos iniciais do curso para 40,7% quando já estavam mais perto da conclusão. Já entre as mulheres, o índice cai de 22,8% no início do curso para 15,4% nos anos finais.

Alexandre Fachini, que é professor do curso de Psicologia do Centro Universitário de Araraquara (Uniara), conta que o consumo de bebida alcoólica aumenta no final do curso.

"As responsabilidades dos períodos finais do curso diminuem as possibilidades e oportunidades de consumo, ou seja, o que era consumido ao longo dos dias de uma semana, com menos oportunidades, passa a ser consumido em apenas um dia ou dois dias”.

O psicólogo, durante entrevista para o 'G1', destacou que a prática de beber muitas doses de álcool em pouco tempo, conhecida como binge drinking, é muito frequente no meio universitário. No sábado (28), o estudante Humberto Moura Fonseca, de 23 anos, morreu após ingestão excessiva de álcool em uma festa universitária no estilo “open bar”. Segundo testemunhas, ele teria tomado 25 doses de vodca.

Fonseca era aluno do terceiro ano do curso de engenharia elétrica da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Bauru.

 

Fonte: G1