THE: Alunos usam água gelada para se refrescar dentro das salas nas aulas

As consequências para os alunos devido à falta de condicionadores de ar nas salas de aula vão além do rendimento escolar

É inegável que a climatização nas escolas teresinenses é um dos elementos que podem contribuir significativamente para melhorar a concentração e, por conseguinte, o rendimento escolar. Por isso, os ventiladores e condicionadores de ar são indispensáveis durante todo o ano. Mas a realidade é outra na Escola Municipal Governador Chagas Rodrigues, localizada no Residencial Francisca Trindade, zona Norte de Teresina. Os alunos e professores são submetidos a permanecerem em sala de aula sem o auxílio desses equipamentos, o que gera intenso desconforto.

A mãe de um dos alunos, Deusimar Albuquerque, conta que as crianças têm que levar garrafas de água gelada para ficarem se molhando enquanto assistem às aulas. ?Elas sofrem demais, têm que levar água para se molhar o tempo todo. Isso também danifica o material escolar deles. Tem criança aqui que já chegou a desmaiar por causa disso?, conta Deusimar, acrescentando ainda que o rendimento escolar das crianças diminuiu depois do surgimento desse problema.

A mãe informou que a instituição de ensino passou por uma reforma para receber a implantação de condicionadores de ar nas 14 salas. Porém, os aparelhos não estão funcionando.

Já João Rodrigues, pai de um aluno, também aponta que as notas estão sendo prejudicadas porque o calor dificulta a concentração. ?Isso interfere na estabilidade em sala de aula. Já vim pegar meu filho de seis anos duas vezes aqui porque ele estava com mal-estar por causa do calor. Ele tem dias que não quer mais vir assistir aula. Até as notas diminuíram. Antes eles costumava tirar 8, 9, agora ele tá tirando 3?, aponta.

Professores também sofrem - Os professores da escola também destacam que lecionar nessas condições é uma tarefa difícil. Um deles afirmou que os alunos ficam muito desconcentrados, principalmente por volta das 15 horas, horário em que eles retornam à sala de aula após o intervalo.

Em todas as salas foi possível constatar crianças reclamando do calor excessivo. Em uma delas uma professora teve que providenciar um balde de água para umedecer o chão, já que um dos dois ventiladores não estava funcionando.

Em nota, a Semec esclarece que a principal dificuldade encontrada pela Prefeitura de Teresina para climatizar a Escola Municipal Chagas Rodrigues, assim como as demais escolas municipais, é em relação à qualidade da energia fornecida pela Eletrobrás Piauí. A Prefeitura disse que já reestruturou grande parte das unidades de ensino para o recebimento dos splits e até adquiriu os aparelhos, agora estuda a instalação de geradores nas escolas. A licitação para a contratação de uma empresa especializada encontra-se em andamento. Além disso, será feito um estudo da carga elétrica que é destinada nas proximidades das escolas. O estudo é necessário para solicitar reforço energético.

Fonte: Wherika Carvalho