Ambulatório do SUS previne amputação em pessoas diabéticas

Ambulatório do SUS previne amputação em pessoas diabéticas

O Ambulatório de Feridas e Pé Diabético vai ser uma referencia na área de cuidados com os pacientes diabéticos.

Em alusão ao Dia Mundial do Diabetes, comemorado em 14 de novembro, a Associação dos Diabéticos do Piauí (ADIP) realiza, durante todo este mês, uma série de ações. A Fundação Municipal de Saúde é parceira dessa atividade e vai abrir o Ambulatório de Feridas e Pé Diabético. A inauguração acontece dia 19, próxima segunda-feira, no Centro Integrado de Saúde Lineu Araújo, a partir das 8h.

O Ambulatório de Feridas e Pé Diabético vai ser uma referencia na área de cuidados com os pacientes diabéticos. ?Não existiam ações realmente focadas nesse publico, que são pessoas que, muitas vezes, sofrem amputações. Com o ambulatório, os diabéticos terão atendimento diferenciado de prevenção para que não amputem seus membros. Isso é muito bom, pois o numero de amputados é grande dentro do grupo de pacientes no Piauí?, explica a presidente da ADIP, Jeane Melo.

O cirurgião vascular do Lineu Araújo, Valrian Campos Feitosa, explica que vários fatores levam um paciente diabético a amputar seus membros. ?O principal fator é a falta de informação, depois falta de pessoal capacitado para tratar do diabético. Outro fator importante é o mau controle glicêmico (hiperglicemia) durante algum tempo, que causa complicações na visão, rins e pés do diabético?, falou o medico.

Ele acrescentou ainda que com a inflamação do nervo dos pés, o paciente diabético perde a capacidade de sentir o membro, o que provoca ferimentos. ?As pessoas, como não sentem o pé, acabam não protegendo o membro e se machucam, abrindo ulceras no local. Isso pode causar grave infecção em um período curto de tempo, levando a amputação. E o Ambulatório de Feridas e Pé Diabético vai servir para dar foco ao diabético, que não tinha essa atenção e acabavam tendo membros amputados por demora no atendimento e cicatrização de feridas?, disse Valrian Campos.

Fonte: saude.teresina.pi.gov.br