Anatel: Consumidores têm espaço para reclamar no PI

Anatel: Consumidores têm espaço para reclamar no PI

O número de pessoas que aderem à telefonia celular cresce de forma bastante significativa a cada ano e, junto com isso, aumenta também o número de reclamações às prestadoras desse serviço.

Muita gente não sabe, mas para quem quer reforçar as reclamações contra as operadoras de telefonia móvel em Teresina e em todo o Estado, tem como opção, além do Procon, o serviço de atendimento ao cidadão da Anatel.

Todas as reclamações em relação a telecomunicações, inclusive telefonias são recebidas através do call center (3131), do site ou pessoalmente na agência da Anatel. Além de reclamações, sugestões e denúncias também são recebidas.

As reclamações podem ser feitas simultaneamente tanto no Procon, como na Anatel. "As pessoas devem fazer o maior número de reclamações possíveis, se elas estão se sentindo lesadas, devem reclamar sempre", aconselhou o gerente da Anatel no Piauí, Carlos Bezerra Braga.

"Se a reclamação for em relação ao serviço da operadora de telefonia móvel, por exemplo, primeiro o reclamante deverá ir à sua prestadora de serviços, caso não consiga um retorno satisfatório, aí ele poderá vir até nós que vamos resolver o problema. Nos demais casos, podem vir diretamente na agência ou usar uma das outras formas para a reclamação", completou Carlos.

Quem fez uso ontem desse serviço de atendimento ao cidadão foi o consultor de telemarketing Paulo de Lima. Ele conta que se sentiu lesado pela sua operadora e foi fazer sua reclamação junto à Anatel.

"O serviço da telefonia celular no Piauí é péssimo. Minha reclamação maior é em relação aos meus créditos. Eles sempre me cobram mais do que deveriam nas ligações. Por isso temos sempre que reclamar quando nos sentimos prejudicados, para tentar melhorar esse serviço", pontuou.

O gerente da Agência afirma que o espaço do cidadão recebe, por dia, uma média de dez reclamações e a maioria delas é referente ao serviço de telefonia móvel que cobre o Estado. As mais comuns são cobrança indevida, má prestação de serviço e cobertura deficiente.

Fonte: Pollyana Carvalho