Aplicativo Colab.re vai receber denúncias de focos do Aedes aegypti

O aplicativo está entre a galeria de serviços da prefeitura

A população de Teresina terá em breve mais um canal de comunicação para participar da guerra contra a dengue, zika e chikungunya. Através da rede social Colab.re, e seu aplicativo para Android e iOS, será possível enviar fotos e denúncias de potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti.

O Colab.re nasceu como uma rede social onde a comunidade podia apontar a existência de problemas estruturais em um local. Por meio de um contrato de cooperação não remunerado, a Prefeitura de Teresina adotou a plataforma como canal de relacionamento oficial com a população no ambiente digital no ano passado.

No Monitor Colab.re, a Prefeitura tem acesso a uma lista de fiscalizações e propostas dos usuários, acompanhadas de foto, endereço físico e link na rede social para cada problema relatado, além de visualizar comentários e curtidas de outros seguidores, bem como o número de protocolo gerado a partir de cada solicitação. “A proposta é que, em meio à lista de categorias para denúncias, seja criada uma específica para focos de dengue, onde o usuário poderá enviar fotos, acompanhado da localização e relatos”, explica Geraldo Câncio Júnior, diretor técnico da Empresa Teresinense de Processamento de Dados (PRODATER).

As denúncias são vistas e avaliadas pela Ouvidoria da Prefeitura de Teresina, que encaminha o problema aos setores responsáveis. “Nos próximos dias, será selecionado e treinado um funcionário da Fundação Municipal de Saúde para integrar esta ouvidoria, e prestar assim um atendimento especializado no que está relacionado ao problema do Aedes aegypti”, informa Francisco Pádua, presidente da FMS.

O Colab.re entra para a galeria de serviços disponibilizados pela Prefeitura de Teresina e FMS para incentivar a participação da comunidade no combate à dengue, zika e chikungunya. Além dele, o cidadão pode se utilizar do disque dengue, por meio do número 0800 286 0007. O serviço é gratuito e funciona de segunda a sexta, das 8h às 17h. Ele não apenas recebe denúncias de focos do mosquito, como também atende solicitações de visitas de agentes de endemias e tira dúvidas sobre o problema.

Fonte: Portal MN