Após 88 dias de greve, 20 mil consultas serão remarcadas no INSS

Os atendimentos devem ser regularizados dentro de 30 dias

Após 88 dias paralisados, a greve dos funcionários do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) terminou na última sexta-feira (25). Com o fim do movimento, agora a principal preocupação dos servidores administrativos das 32 agências do Piauí que aderiram à paralisação é normalizar os atendimentos aos segurados.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social no Estado do Piauí (Sintsprev-PI), Antônio Machado, uma média de 20 mil atendimentos terão que ser remarcados. De acordo com ele, em até 30 dias todos os serviços devem ser regularizados.

“No primeiro momento estamos dando prioridade aos atendimentos urgentes, como o agendamento de perícia de trabalhadores, empregados que estão afastados do trabalho por causa de problema de saúde e liberação de pagamento de benefício”, explica Antônio Machado. O sindicato orienta aos segurados que antes de irem às agências liguem para a Central Telefônica 135 e consultem previamente a situação do atendimento na unidade.

Image title


Apesar de não terem conseguido o que reivindicavam na fase inicial da greve, os grevistas consideram que a proposta oferecida pelo governo federal representa um avanço para a categoria. Os servidores conseguiram reajuste salarial de 10,88%, que deve ser pago em dois anos; vale-refeição de R$ 458, auxílio- creche de R$ 321, incorporação da gratificação em três anos e promoção dos servidores a cada 12 anos.

“Não foi como a gente queria mas reconhecemos que tivemos uma vitória”, ressalta Antônio Machado. A dona Maria Monteiro está feliz com o fim da greve. Há duas semanas ela estava se deslocando do município de Prata do Piauí, distante 165 Km de Teresina, para poder atualizar seu cadastro da agência do INSS localizada na Avenida João XXIII, na zona Leste da capital.

“Eu espero que meu caso seja resolvido. Essa greve causou muitos problemas”, disse Maria Monteiro. Marilda Borges também tenta atendimento na agência do INSS da Avenida João XXIII. Há 15 dias, ela quer agendar uma perícia médica. “Estou tentando agilizar os procedimentos para o meu filho, que está com problema de saúde, receba benefício”, conta.

Peritos continuam em greve

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social no Estado do Piauí (Sintsprev-PI), Antônio Machado, esclarece que só teve fim a greve dos servidores administrativos do INSS. Os médicos peritos do órgão estão paralisados desde 4 de setembro e ainda não entreram em acordo com o governo Federal.

Os peritos são os responsáveis pelo reconhecimento do direito ao benefício por incapacidade (auxílio-doença e outros) solicitado pelo cidadão junto ao INSS. De acordo com a Associação Nacional dos Médicos Peritos (ANMP), no Piauí, 55 médicos aderiram à greve.

A categoria reivindica reestruturação da carreira, adequação das condições de trabalho, redução da jornada de trabalho de 40 horas para 30 horas. Até agora, não há encaminhamento de negociações com o governo federal.

Fonte: Virgínia Santos e Izabella Pimentel