Após acusados conseguirem liberdade, filha de cinegrafista da Band faz desabafo

Após acusados conseguirem liberdade, filha de cinegrafista da Band faz desabafo

A filha do cinegrafista Santiago Andrade, morto em uma manifestação em fevereiro do ano passado, fez um desabafo na noite desta quarta-feira (18), após a desqualificação da denúncia de homicídio contra os acusados da morte de seu pai.

Vanessa Andrade declarou, numa rede social, que passou a ser "mais uma parcela da sociedade que passa a conviver com assassinos de um homem íntegro e justo em liberdade". Em outro trecho, ela envia um recado a Caio Silva de Souza e Fábio Raposo, que serão soltos após a decisão de desembargadores da 8ª Câmara Criminal do Rio.

"Santiago Andrade morreu pelo simples fato de estar mostrando ao país o que vocês acharam que seriam capazes com os rostos escondidos. Meu pai salvou cinco vidas, meu pai é o meu orgulho, meu pai descansa em paz. Eu me pergunto agora: quem tem orgulho de vocês?", indagou.

Vanessa disse respeitar a decisão dos desembargadores, mas lamentou não pensar como eles. "Lamento não ser como os defensores [da lei], que perdoam dois assassinos, que transformaram em noites os dias de uma família com um simples voto. Se Caio e Fábio estão livres, lamento mais ainda desapontá-los, mas a minha batalha continua, até a última instância, estou preparada".

Souza e Raposo serão soltos automaticamente após dois desembargadores da 8º Vara Criminal terem acatado, na tarde desta quarta-feira (18), a desclassificação do crime de homicídio triplamente qualificado atribuído aos acusados. Somente um desembargador, o relator do caso, votou contra. Ainda cabe recurso do Ministério Público, que não se manifestou a respeito.

Caso a decisão seja mantida, o processo será transferido para uma vara criminal e o caso não irá mais a júri popular. O novo promotor deverá apresentar outra denúncia.

Segundo a defesa dos acusados, o alvará de soltura deverá chegar na tarde desta quinta-feira (19) no Complexo Penitenciário de Bangu, na zona oeste do Rio, onde os acusados estão presos desde fevereiro do ano passado.

MORTE EM PROTESTO

Santiago Andrade era cinegrafista da TV Bandeirantes, e foi atingido por um rojão enquanto cobria uma manifestação contra o aumento das passagens de ônibus no Rio, próximo à Central do Brasil, no dia 6 de fevereiro. O cinegrafista chegou a ser internado e morreu quatro dias depois.

Os acusados respondiam pelos crimes de explosão e homicídio doloso triplamente qualificado, por motivo torpe, impossibilidade de defesa da vítima e uso de explosivo. O Ministério Público Estadual afirmou que recorrerá da decisão. Caso ela seja mantida, a Promotoria terá de fazer uma nova denúncia, na qual os acusados poderão responder pelo crime de explosão seguida de morte –e não mais por homicídio doloso qualificado.

Nas redes sociais, a irmã de Fábio Raposo, Joana Raposo, comemorou a decisão. "A vitória é toda nossa! Liberdade Fábio! Conseguimos


Fonte: Folha de São Paulo