Aluna que agrediu professora com tapas pede desculpas e diz passar por problemas

Aluna que agrediu professora com tapas pede desculpas e diz passar por problemas

Conselho Tutelar disse que adolescente terá acompanhamento psicológico.

A aluna que agrediu uma professora com tapas no rosto dentro de sala de aula pediu desculpas à educadora e disse que está passando por problemas pessoais, segundo a direção da escola. A agressão aconteceu em uma escola na cidade de Coronel Fabriciano, na Região do Vale do Aço, em Minas Gerais. O Conselho Tutelar e a Superintendência Regional de Ensino estão acompanhando o caso.

As imagens foram postadas na internet e mostram a briga, que segundo a direção da escola, teria começado depois que a professora pegou um bilhete que circulava pela sala. Uma aluna se levantou, começou a discutir e partiu para cima da professora. A gravação foi feita na semana passada durante a aula de física do primeiro ano do ensino médio.

A briga assustou quem estudou no local. Ainda segundo a direção, a estudante e a professora nunca tinham se envolvido em casos semelhantes. ?Uma excelente profissional que tem domínio de conteúdo. Ela nunca tinha participado deste tipo de situação. Muito menos a aluna que estuda aqui desde o ano passado, é uma aluna calma, tranquila. Nem conversa em sala de aula?, disse a diretora da escola, Ilméria Frossard.

?Às vezes, o aluno ao cometer um ato deste faz por impulso, vontade de destacar perante os outros alunos, que vai vencer perante o professor. Pode ser que este aluno pode estar com problema em casa, com o pai, com o padrasto, com a mãe?, opinou a conselheira tutelar Kátia Mantovani.

A adolescente vai começar um acompanhamento com assistentes sociais e psicólogos, de acordo com o Conselho Tutelar. O processo também vai ser encaminhado para o Ministério Público.

?É preciso que nós vivenciemos esta prática para que nós amenizemos os conflitos diários nas unidades escolares?, defendeu a superintendente regional, Maria do Carmo Melo. A Superintendência de Ensino afirmou ainda que foi um episódio isolado e que o diálogo é a base para prevenir e punir esses tipos de casos.

Os pais da aluna não foram localizados para falar sobre o assunto.

Fonte: G1