Após briga com prefeito Eduardo Paes, músico pede para que polícia arquive caso

O governador Sérgio Cabral disse que o prefeito ficou chateado com a briga

O músico Bernardo Botkay, de 30 anos, e sua mulher, a atriz Ana Maria Bonjour, de 34, que se envolveram numa briga com o prefeito Eduardo Paes no último domingo, prestam depoimento na 15ª DP (Gávea), na tarde desta terça-feira. O casal informou que desistiu de entrar com representação contra os seguranças de Paes e não cogita fazer nenhuma denúncia contra o prefeito. A confusão ocorreu na porta de um restaurante no Horto, na madrugada do último domingo. Segundo o delegado Orlando Zaccone, titular da 15ª DP, o caso será arquivado ainda nesta terça-feira. De acordo com ele, o músico, conhecido como Botkay, contou que insultou o prefeito, que foi agredido, mas quer cancelar a queixa:

? Eles renunciaram ao direito de representação e, por isso, vou enviar ainda hoje o inquérito para arquivamento.

O músico e a namorada distribuíram uma nota aos jornalistas, na qual enfatizam que o caso deve ser retirado da esfera criminal e colocado na esfera política. Em nota, o músico diz que "Eu, Botika, fui agredido fisicamente com dois socos desferidos pelo prefeito após ter xingado o mesmo. O início do que o prefeito chamou, em nota, de desentendimento físico, partiu única e exclusivamente de Eduardo Paes, sem revide físico por minha parte. Em outros lugares do mundo, a legislação prevê prisão para a ação de se agredir alguém com soco." Ainda em nota, o músico destaca que "nossa crítica é contra o poder municipal que loteia nossa Cidade, desapropria e expulsa os pobres, abrindo lugar para os ricos". Apesar das críticas, o casal desistiu de levar o caso adiante.

Nesta segunda-feira, Zacone havia classificado o episódio de ?uma história mal contada, com coisas estranhas, que precisam ser esclarecidas?. O delegado queria esclarecer alguns pontos, pois o músico, que dizia ter levado dois socos de Paes após agredi-lo verbalmente com palavrões, aparecia como testemunha e não como vítima no registro de ocorrência (R.O.) na delegacia. No Instituto Médico-Legal, quem fez exame de corpo de delito foi a mulher de Botika e não ele. Por sua vez, o prefeito não consta no R.O. como agressor, mas pediu desculpas à população, admitindo que excedeu limites e partiu para a agressão.

? No mínimo, é esquisito o músico não ter dito na delegacia que levou um soco do prefeito e aparecer no registro como testemunha. Ele diz que fez exame de corpo de delito, mas a verdade é que quem fez foi a mulher dele, que teria machucado o joelho por truculência dos seguranças. Já o prefeito assume publicamente que agrediu o músico e pede desculpas. Está tudo muito estranho ? diz Zaccone.

O caso chegou às redes sociais. O escritor e filósofo Francisco Bosco, que estava com Paes, confirmou no Facebook que ele perdeu a cabeça: ?As agressões verbais com xingamentos não paravam, então, eu pedi a Botikay (que conheço, sem intimidade, há anos) que parasse com aquilo. E as agressões eram destituídas de qualquer argumentação; puro xingamento e ironia pretensamente superior. Temendo que a situação se agravasse, me levantei para conversar com Botikay. Segundos depois vi, para minha perplexidade, o prefeito agredindo Botikay, fisicamente. De minha parte, só o que fiz foi separar?.

Bernardo Botkay disse ao GLOBO, nesta segunda-feira, que não se arrepende de ter agredido verbalmente Paes. Mas que, orientado pela advogada, não falaria sobre o caso. Enquanto isso, em entrevista à Band News, o prefeito se desculpou.

? Estava com minha mulher. Não deveria ter tido a reação porque sou prefeito. Nunca briguei na rua nos meus 20 anos de vida pública. Reagi como Eduardo em uma situação inusitada. Eles estavam enfurecidos. Fui muito xingado ? disse Paes, afirmando que os seguranças só intervieram depois de algum tempo. ? Todo cidadão pode cobrar de mim, mas tudo tem limite. O músico não deve ser a pessoa das mais equilibradas. Mas isso não justifica minha atitude.

O governador Sérgio Cabral disse que o prefeito ficou chateado com a briga:

? Não se justifica, mas ele foi muito agredido. Ele tinha acabado de ver o show do João Bosco, estava curtindo a noite. Se discordam do prefeito, há formas de abordá-lo, mas não insultando a pessoa.

O episódio foi notícia no site do ?New York Times?. Sob o título ?Brasil: prefeito dá soco na cara de morador?, o texto afirma que o fato aconteceu depois de o prefeito ter sido xingado por um eleitor.

Fonte: O Globo