Após críticas a Obama, internet na Coreia do Norte fica fora do ar novamente

A queda da internet ocorre após o governo da Coreia do Norte chamou o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, de "macaco".

As redes de internet fixa e móvel estão fora do ar na Coreia do Norte na noite deste sábado (27), horário local, segundo a agência chinesa "Xinhua", citada pela "Reuters". No início da semana, o país já havia ficado sem conexão por dois dias consecutivos.

A conexão não havia sido restabelecida ao menos até 10h30 (horário de Brasília), afirmou a agência de notícias chinesa citando seus repórteres na Coreia do Norte. Eles informaram a situação via linhas de telefone fixo.

A queda da internet ocorre após o governo da Coreia do Norte chamou o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, de "macaco".

O país também culpa Washington pelas interrupções da internet ocorridas nos últimos dias em meio ao confronto sobre o ataque de hackers ao estúdio de cinema Sony Pictures, que lançou o filme "A Entrevista", uma ficção sobre o assassinato do líder Kim Jong-un.

"Conspiração e insulto"

A Comissão de Defesa Nacional, órgão regulamentador do Norte, presidido pelo líder Kim Jong Un, disse que Obama foi o responsável pela decisão tardia da Sony de liberar a comédia de ação "A Entrevista", que retrata uma conspiração para assassinar Kim.

"Obama é sempre imprudente em palavras e atos, como um macaco em uma floresta tropical", disse um porta-voz não identificado para a comissão em um comunicado divulgado pela agência oficial de notícias KCNA, usando um termo aparentemente projetado para causar ofensa racial que a Coreia do Norte usou antes.

A Sony cancelou o lançamento do filme quando grandes redes de cinema se recusaram a exibi-lo na sequência de ameaça de violência de hackers, mas colocaram-no em lançamento limitado depois que Obama disse que a Sony estava rendendo-se à pressão da Coreia do Norte.

Fonte: UOL