Após decolagem no Líbano, Boeing com 90 pessoas a bordo cai no mar Mediterrâneo

Após decolagem no Líbano, Boeing com 90 pessoas a bordo cai no mar Mediterrâneo

A causa do acidente ainda não é conhecida, mas a polícia já descartou a hipótese de terrorismo

O Ministério dos Transportes do Líbano confirmou nesta segunda-feira (25) que um avião da Ethiopian Airlines com 90 pessoas a bordo caiu no Mar Mediterrâneo pouco depois de decolar de Beirute, capital do Líbano. As informações iniciais eram de que havia 92 pessoas na aeronave.

O Boeing 737-800 decolou às 2h30 (horário local, 22h30 no horário de Brasília) com destino à capital da Etiópia, Addis Abeba.

A causa do acidente ainda não é conhecida, mas a polícia já descartou a hipótese de terrorismo e avalia que a queda possa ter sido provocada pelo mau tempo. Chovia forte em Beirute no momento da decolagem. O Exército libanês afirmou em um comunicado que o avião estava "em chamas após a decolagem".

?O tempo estava, sem dúvida, muito ruim?, disse o Ministro dos Transportes do Líbano, Ghazi Aridi. Segundo ele, a aeronave caiu a cerca de 3,5 km da costa libanesa. Helicópteros e navios vasculham a área em busca de possíveis vítimas e destroços.

A companhia aérea divulgou uma nota oficial em seu site confirmando que o avião está desaparecido.

?Uma equipe já está trabalhando no levantamento de todas as informações pertinentes?, diz o comunicado. ?Uma equipe de investigação foi enviada para o local e divulgaremos novas informações assim que recebermos.?

O avião transportava 83 passageiros e sete tripulantes. Anteriormente, foi divulgado que 85 passageiros estavam a bordo. O Ministro dos Transportes declarou que na aeronave viajavam 54 libaneses, 22 etíopes, um iraquiano, um sírio, um canadense de origem libanesa, um russo de origem libanesa, uma francesa e dois britânicos de origem libanesa.

Parentes dos passageiros começaram a chegar no aeroporto de Beirut nesta segunda, muito emocionados. O primeiro-ministro libanês, Saad Hariri, anunciou um dia de luto oficial e pediu o fechamento de escolas entidades públicas.

Segundo as agências Associated Press e Efe, quatro corpos já foram retirados do mar.

Fonte: g1, www.g1.com.br