Após decreto do TST, Correios voltam as atividades normais nesta quinta

Após decreto do TST, Correios voltam hoje ao trabalho

Após decreto do Tribunal Superior do Trabalho (TST), os funcionários dos Correios retomam às atividades normais hoje (10). A Corte julgou o dissídio coletivo da classe, aprovando a proposta sugerida pela empresa e determinando o fim da greve.

E apesar de ter sido decidido que ela não atingiu patamares abusivos, o TST estabeleceu que os trabalhadores devem repor os dias de paralisação em regime de duas horas diárias, de segunda a sexta, em até 6 meses.

O reajuste oferecido pelos Correios foi mantido nessa decisão do tribunal, o que significa que a categoria terá um aumento de 8% nos salários (reposição da inflação do período, 6,27%, com ganho de mais 1,7%) e de 6,27% nos benefícios, vale-extra na quantia de R$ 650,65, a ser creditado em dezembro e vale-cultura dentro das regras de adesão ao Programa implementado pelo governo federal.

Os ministros que participaram da determinação do fim da greve ontem (09) apontaram que o reajuste ofertado pelos Correios está acima dos índices inflacionários do período.

Além disso, o TST contemplou totalmente a proposta da empresa relacionado ao plano de saúde, que, dentre outras coisas, irá manter na íntegra a cláusula que dá garantia todos os direitos dos trabalhadores, como cobertura de procedimentos, rede credenciada e percentual de compartilhamento, nenhuma adição de custos, repasse ou mensalidade aos empregados.

Sobre a decisão do TST, o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios e Telégrafos do Piauí (Sintect-PI), José Rodrigues, afirma que as reivindicações foram atendidas parcialmente.

"Ela não atendeu de forma total, mas avalio como razoável, já que, pelo menos o plano de saúde foi de maneira completa. Quanto à mudança da empresa do plano, como destacou o ministro, deve ser feito de acordo com o trabalhador julgar, mas vamos conversar com a categoria para discutir isso", frisa.

Para diretor administrativo do Sintect-PI, Evandro Pinheiro, essa determinação do Tribunal do Trabalho também é vista parcialmente de forma positiva, já que, pelo menos uma das reivindicações (plano de saúde) foi plenamente atendida. Porém, ela pontua que, se comparada a greve anteriores, o resultado dessa foi mais animador.

Fonte: Wherika Carvalho