Após diagnóstico de câncer na laringe, ex-presdente Lula sai de hospital em SP

Após diagnóstico de câncer na laringe, ex-presdente Lula sai de hospital em SP

Lula tem um tumor maligno e vai passar por sessões de quimioterapia

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, por volta das 20h deste sábado, onde foi diagnosticado com câncer na laringe. O ex-mandatário despistou a imprensa na saída e não comentou sobre a doença. Ele foi para São Bernardo do Campo (ABC paulista), onde mora.

Segundo diagnóstico divulgado neste sábado pelo hospital Sírio-Libanês, Lula tem um tumor maligno e vai passar por sessões de quimioterapia. O tratamento terá início já na semana que vem.

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência e ex-chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho, afirmou que os médicos "estão dizendo que em três meses têm como se curar com a quimioterapia". "Estamos todos muito preocupados, mas temos esperança da capacidade dele de superar obstáculos. Conhecemos sua energia e sua saúde. E se Deus quiser vai superar mais esse obstáculo," afirmou Carvalho, ainda.

Mais cedo, o médico gastroenterologista Raul Cutait afirmou que o ex-presidente reagiu "bem" à notícia de que tem câncer. De acordo com o ele, que não faz parte da equipe que cuida do político, Lula se comportou normalmente no quarto. "Ele está falando, conversando, está bem disposto", disse o médico na ocasião.

Segundo a assessoria do ex-presidente, o ex-chefe do Poder Executivo vinha se queixando de rouquidão e dor de garganta. O quadro fez com que o médico Roberto Kalil Filho, do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, aconselhasse o ex-presidente a realizar exames.

Apoio

Ainda hoje, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, realizou uma visita a Lula. Além do apoio presencial, o petista recebeu solidariedade de diversos personagens políticos - tanto aliados como oposicionistas - por meios digitais.

Por meio de nota, um dos principais partidos adversários do governo, o PSDB, afirmou ter ficado preocupado com o petista. A agremiação disse em comunicado desejar que a recuperação "seja a mais rápida e bem sucedida". "O presidente Lula ainda tem muito a contribuir para o debate político nacional", afirmou, ainda.

O presidente do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, um dos políticos mais próximos de Lula, comentou que levou um susto ao saber da notícia, pois tinha participado da festa de aniversário do ex-presidente na quinta-feira e não notou problemas. "Lula é um bravo, um homem de muita disposição de luta. Além do mais, o boletim médico é tranquilizador. De maneira que, mais do que confiança, tenho fé que tudo isso será resolvido e que o nosso presidente Lula continuará sendo a grande referência do Brasil por muito tempo ainda", afirmou, por meio da assessoria.

O câncer de Lula

Após queixa de dores de garganta, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva realizou uma série de exames na noite de 28 de outubro. Na manhã do dia seguinte, foi divulgado boletim médico do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, informando que foi diagnosticado um tumor maligno na laringe, que seria inicialmente tratado por quimioterapia.

O câncer na região da laringe é mais comum entre homens e o de maior incidência na região da cabeça e pescoço. Os principais fatores que potencializam a doença são o tabagismo e o consumo de álcool. Já os sintomas são: dor de garganta, rouquidão, dificuldade de engolir, sensação de "caroço" na garganta e falta de ar.

Fonte: Terra