Após erro, muda endereço do Enem para 1.120 candidatos

Após erro, muda endereço do Enem para 1.120 candidatos

Desde 2009, o exame é marcado por uma sucessão de problemas.

Nem o selo do Inmetro garantiu a ausência de falhas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será aplicado neste fim de semana a mais de 5 milhões de estudantes.

A certificação, adotada este ano pelo Inep para assegurar o êxito em todos os processos do exame, não detectou um erro na etapa de confirmação de locais de prova. No Rio de Janeiro, pelo menos 1.120 candidatos que fariam o Enem em um dos prédios da Unirio foram surpreendidos com a alteração para outro edifício da universidade.

O estudante Bill Junior, de 18 anos, foi um dos candidatos que estranharam o telefonema de um funcionário da Cesgranrio (que participa do consórcio contratado para aplicar o Enem) notificando a mudança de endereço do campus que abriga a reitoria e os prédios de Nutrição e Enfermagem, para o Centro de Letras e Artes.

- No cartão de confirmação que recebi pelo Correio, estava escrito que faria no número 296 da Avenida Pasteur. Mas, no fim da semana passada, me ligaram dizendo que houvera um erro de impressão, e que o local certo ficava no número 436 da mesma avenida - conta Bill, que tenta uma vaga em Medicina pelo segundo ano.

- Suspeitei e perguntei qual era a garantia de que não era um trote. Mas não era pegadinha. Também aconteceu com sua colega do curso pré-vestibular _A_Z e concorrente Bianca Peixoto, que recorreu ao serviço de esclarecimentos do Inep, no telefone 0800616161, e recebeu uma informação contraditória.

- Fiquei muito nervosa com a ligação. Posteriormente, entrei em contato com a central de atendimento do Inep, e eles me informaram que não havia nenhuma alteração do meu local de prova. No entanto, chequei no meu cartão de confirmação on-line e, realmente, houve uma mudança no número do prédio. Assim, permaneço na dúvida de onde farei a prova exatamente - diz Bianca.

Segundo a assessoria de imprensa do Inep, realmente houve uma alteração de local de prova, apenas neste caso. O órgão não considerou um erro, mas uma mudança para um lugar mais adequado. Já o departamento de concursos da Cesgranrio admitiu que, na hora do cadastramento dos locais de prova, mais de mil cartões saíram com o número do prédio errado.

- Já avisamos a todos os candidatos afetados pela alteração por telefone, SMS ou e-mail. No dia da prova, vai haver uma faixa informativa no local e um carro à disposição dos candidatos. Um prédio fica 200 metros do outro. Acredito que ninguém será prejudicado - disse Álvaro Freitas, coordenador de concursos da Cesgranrio.

HISTÓRICO DE PROBLEMAS MARCA O NOVO FORMATO

Desde 2009, quando o Enem passou a substituir o vestibular e servir como prova de acesso à graduação em diversas universidades federais em todo o Brasil, o exame foi marcado por uma sucessão de problemas.

Naquele ano, houve o furto de uma das provas e o vazamento de seu conteúdo às vésperas de sua aplicação. O exame foi adiado em dois meses, e os problemas não pararam por aí. Candidatos também tiveram o local de prova alterado, e houve confusão no dia em que a prova foi aplicada em diversos pontos do país.

Em Niterói, um grupo de estudantes não conseguiu chegar ao local de prova a tempo, pois havia dois prédios diferentes da Estácio de Sá com o mesmo endereço. Para completar, os gabaritos foram divulgados com erro. Em 2010, candidatos foram prejudicados por erros de impressão no cartão de respostas e no caderno de perguntas das provas amarelas.

Fonte: O Globo, www.oglobo.com.br