Asfaltamento será realizado em avenida de Timon após moradores protestarem

Asfaltamento será realizado em avenida de Timon após moradores protestarem

Moradores bloquearam a via para chamar a atenção das autoridades

Depois de quase uma semana de manifestações e de terem interditado a Avenida Tiúba, nas imediações da Vila Monteiro, em Timon, moradores receberam a visita do prefeito do município, Luciano Leitoa, que prometeu asfaltar a via pública, dentro dos próximos dias, com inauguração prevista para o dia sete de setembro, deste ano. Os moradores interditaram a avenida com pedaços de paus, galhos de árvores, pedras e pneus. A manifestação começou no sábado passado e só terminou ontem, pela manhã, depois da promessa do prefeito, de asfaltar a avenida.

A Avenida Tiúba é asfaltada até o início da Vila Monteiro e dá acesso ao povoado Sangradouro. ?A Avenida Tiúba é uma via bastante movimentada, porque ela também dá a cesso à BR-316. Nós convivemos com a poeira desde que fundamos a Vila Monteiro. É uma situação insuportável, porque a poeira atrapalha até as vendas. A mercadoria tem que ser limpa diariamente, senão, os fregueses não compram?, comenta o morador e comerciante do local, José da Cruz Lima, acrescentando que o asfalto parou justamente na entrada da Vila, onde existem centenas de moradores que não suportam mais o estado de poeira no verão e lama n durante o período de inverno.

Os moradores dizem que se a avenida não for asfaltada no prazo determinado pelo prefeito, eles farão nova manifestação e interditarão a avenida. ?Fizemos a manifestação durante quase uma semana, para mostrar ao poder público municipal de Timon, a real situação em que vivemos. Não dá mais para conviver com a lama e, principalmente com a poeira. As crianças e também os adultos, vivem, constantemente, com problemas de saúde. Quase todos os moradores da Vila Monteiro participaram da manifestação. Mas já tivemos a garantia do prefeito de que a via será asfaltada até o final da vila e até o encontro com a BR-316?, relata o morador Roberto da Rocha.

Os moradores disseram ainda, que logo após o término da manifestação, a Prefeitura de Timon providenciou um carro-pipa, para molhar a rua e amenizar a situação da população. ?O carro-pipa deverá aguar a rua, até que seja iniciada a construção do asfalto. Essa providência melhora um pouco a situação de poeira nas casas e também prejudica a saúde das pessoas?, reforça o morador.

Até as crianças se sentem incomodadas com poeira da Avenida Tiúba. É o caso de Francisco Roberto da Rocha Filho, de aproximadamente 10 anos de idade. ?Não só a poeira é ruim, como também a falta de água, na Vila Monteiro?, acrescenta a criança.

Água não chega às torneiras de casa

A população da Vila Monteiro também reclama da falta de água no local. Segundo os moradores, existe a canalização em residência e um cano geral, mas a água não chega às torneiras. A solução encontrada por eles foi a de canalizar a água de uma vizinha, que por sua vez, canalizou o líquido, do bairro Pedro Patrício, mais próximo da Vila.

O comerciante José da Cruz diz que a situação é difícil porque a água é fraca, sendo preciso passar boa parte do seu tempo juntando o líquido, em vasilhames. Ele diz ainda que os moradores dividem a conta de água com a dona da casa, que foi a única que canalizou a água do outro bairro, mas que tem contador em sua casa e paga pelo líquido consumido.

?Aqueles que canalizaram a água da casa da vizinha dividem a conta, no final do mês. Foi a única forma que encontramos, de não ficar sem água que é fundamental para a sobrevivência humana?, observa.

Os moradores dizem que esse problema também foi conversado com o prefeito Luciano Leitoa, que prometeu regularizar o abastecimento da água no lugar.

Prefeito visita moradores e diz que atenderá reivindicações

O prefeito Luciano Leitoa foi até o local das manifestações, ontem (08), conversou com os moradores da região e prometeu, através de negociação de datas e acertos sobre a obra, que a Avenida Tiúba será asfaltada. O prefeito ouviu os desabafos da população e de lideranças da região, sobre a poeira da avenida e também da falta de água no local, além de falta de transporte e de área de lazer para as crianças, jovens e adultos. Depois de ouvir as pessoas, o prefeito disse que compreendia a revolta da população, mas que a interdição da avenida poderia resultar em outros problemas. ?Já pensaram se uma mulher em trabalho de parto vem do interior e é obrigada a parar aqui??, indagou o prefeito.

Ele também lembrou que não poderia resolver os problemas de Timon em sete meses, quando sua antecessora não resolveu em oito anos. Além disso, Luciano disse que a situação da Prefeitura é muito crítica e que ele está sendo obrigado a cortar gastos com pessoal, para ver se sobra alguma coisa para solucionar questões como estas.

Uma das soluções sugeridas pelo prefeito, que começaram a ser encaminhadas na última quinta-feira foi fazer um tratamento superficial com brita, de cerca de 1,5 quilômetros, até 200 metros após o residencial Padre Delfino, com o prazo de conclusão de um mês. Enquanto isso caminhões pipas ficarão aguando a avenida para acabar com a poeira. Já com relação à falta d´água, Luciano disse que vai precisar da ajuda dos moradores, para que alguém se habilite a doar um pedaço de terreno onde o SAAE possa abrir um poço. E frisou que esta solução, como também o tratamento superficial de brita, é apenas paliativa. Ele garante que a solução definitiva virá antes do final de seu mandato.

Fonte: Lindalva Miranda