Após sexo na praia, quiosques lucram alto com afrodisíacos com repercussão do caso "Cicarelli"

Após sexo na praia, quiosques lucram alto com afrodisíacos com repercussão do caso "Cicarelli"

A dona de casa Wanderlea dos Santos Silva foi flagrada enquanto estaria fazendo sexo com um rapaz em uma praia.

Até os quiosques de Rio das Ostras ganharam um ar afrodisíaco. A dose de catuaba, a R$ 3, por exemplo, passou a ter uma conotação maliciosa, assim como a porção de amendoim, servida nas mesas dos veranistas.

A atendente Patricia Leal, de 32 anos, trabalha num quiosque na mesma praia onde o casal foi flagrado. Natural de Uberlândia, interior de Minas Gerais, ela passou a receber ligações dos amigos após a notoriedade do caso.

- Os amigos me perguntam: "É nessa praia que você trabalha? Quero conhecer essa praia afrodisíaca".

Em outro quiosque na Praia do Centro, o atendente Anderson Serpa, de 18 anos, diz que os clientes costumam pedir catuaba no inverno. Mas a coisa deve mudar...

Falta lugar

O motel Villa Di Mare, a 15 quilômetros do centro de Rio das Ostras, é o único da cidade. E, por isso, costuma ter lotação nos seus 28 quartos. De acordo com a gerência, o motel costuma abrigar até 100 casais por dia.





Hotel

No hotel Ostrão, a 200 metros do local do flagra, a reação foi ruim: "Isso foi negativo para a cidade. As pessoas estão chocadas e não levaram a situação na brincadeira", disse a gerente Carla Câmara.

O caso

A dona de casa Wanderlea dos Santos Silva, de 41 anos, estava com os filhos, um casal de gêmeos de 9 anos, quando foi flagrada enquanto estaria fazendo sexo com um rapaz de 27 anos (ela nega) na Praia do Centro, em Rio das Ostras, na tarde de 8 de fevereiro, véspera de carnaval. Os dois foram levados à 128ª DP (Rio das Ostras), onde foram autuados por ato obsceno. No dia seguinte, o registro foi encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim).

Fonte: Extra, extra.globo.com