Após troca de sexo, delegada goiana consegue documento que dá direito à mudança de nome

Após troca de sexo, delegada goiana consegue documento que dá direito à mudança de nome

Laura de Castro Teixeira comemorou decisão: "Sou mulher por completo".

A delegada goiana que nasceu homem e fez uma cirurgia de mudança de sexo obteve, nesta segunda-feira (17), o documento que a autoriza a mudar de nome. Registrada como Thiago de Castro Teixeira, ela aguardava a sentença do processo que corria na 6ª Vara de Família da capital para que pudesse usar oficialmente o nome escolhido: Laura.

Feliz, a delegada Laura disse que, apesar de esperar bastante por esse momento, recebeu a notícia com tranquilidade e comemorou o fim do que ela chamou de ciclo. "Agora, sou uma mulher por completo. A mudança física já havia sido feita, só faltava a jurídica. Só o nome que não estava adequado", declarou.

Até agora, para a Justiça, Laura ainda se chama Thiago de Castro Teixeira. Após cinco meses de licença, ela voltou a trabalhar no último dia 6, assumindo o cargo de delegada plantonista da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Goiânia. Como ela trabalha em um turno de 24 horas e seu advogado deve pegar a sentença somente no fim da tarde, ela disse que só vai dar entrada na mudança de documentos na próxima quarta-feira (19).

"Amanhã [terça-feira, 18] vou entrar na delegacia às 8 horas e só saio no mesmo horário do dia seguinte. Depois disso é que eu vou agilizar a troca dos documentos. Muda tudo. Primeiro, vou fazer uma nova Certidão de Nascimento e Carteira de Identidade. Em seguida, vou à Receita Federal para não ter problemas com meu Imposto de Renda (IR). Também preciso renovar minha CNH, renovar os registros da minha arma particular e minha identidade funcional", enumera.

A delegada explica que, posteriormente, à medida em que houver necessidade, também vai atualizar o novo nome que virá em cartões de crédito, contas de água, luz, telefone e outros cadastros. "Nada é automático, tudo tem que recadastrar", pontua.

Apesar do "trabalho" que vai ter, Laura diz que está feliz com sua nova vida. Ela revela que sempre soube que sua história chamaria a atenção das pessoas, mas nunca imaginou que isso tomasse tanta repercussão.

"Minha expectativa, quando fiz a mudança, era de uma certa repercussão. Mas ela foi muito grande, além do que eu esperava. Sempre acreditei que, com o tempo, as coisas voltariam ao ritmo normal. Mas agora não sei, não faço ideia de como vai ser", comenta.

Trabalho

Ainda como Thiago, a delegada atuou como titular nas delegacias de Senador Canedo e Trindade, cidades da Região Metropolitana de Goiânia, além de ter sido chefe do Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (Genarc) em Porangatu, no norte de Goiás.

Depois da operação de mudança de sexo, ela própria pediu à diretoria da Polícia Civil para ser transferida para a Delegacia da Mulher, pois, desde o final do ano passado, havia uma vaga aberta na unidade, porque um delegado se aposentou.

"Nós somos quatro delegadas plantonistas agora e quatro delegadas no expediente, somando oito mulheres à frente dos trabalhos de atendimento, investigação e prisão. Somos oito mulheres cuidando da defesa das mulheres aqui em Goiânia", ressaltou a titular da Deam, a delegada Ana Elisa Gomes.

Família

A transformação de Laura surpreendeu a família, que foi comunicada sobre a mudança no final de 2011. A delegada ressalta que recebeu o apoio dos parentes para se transformar em Laura. Na época, Thiago era casado e já tinha dois filhos. ?Quando eles ficaram sabendo, para eles, foi realmente um choque. Mas, em nenhum momento, eu deixei de ter apoio. Apesar de ficarem surpresos, eles estiveram sempre do meu lado?, afirma Laura.

Tio da delegada, o plástico Vallmes Costa Teixeira contou sobre a surpresa com a notícia: ?A gente caiu duro?. A partir daí, Laura foi atendida por psicólogos que a ajudaram a entender e concretizar as mudanças.

Fonte: G1