Aposentada passa na Fuvest 2013 e será caloura do próprio filho

Lindamir Monteiro da Silva é uma dos estudantes que têm muito a celebrar.


Aposentada fica 31 anos sem estudar, passa na Fuvest 2013 e será caloura do próprio filho

Esta sexta-feira (1º) foi de comemoração para os aprovados na Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular) 2013, que seleciona alunos para a USP (Universidade de São Paulo) e para a Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo. A lista foi divulgada por volta das 14h.

Lindamir Monteiro da Silva é uma dos estudantes que têm muito a celebrar. Prestes a fazer 54 anos, a aposentada passou no curso de geografia após 31 anos fora das salas de aula e será caloura do próprio filho. ?Consegui me aposentar em 2011 e no ano passado comecei a fazer cursinho extensivo?, contou. ?Eu tive que estudar muito, porque estava longe da escola há um bom tempo?.

Acompanhada da filha de 17 anos, Inae Monteiro Negrão, que prestou arquitetura, mas não entrou na primeira chamada, a aposentada conta que o dia da matrícula será ainda mais especial. ?Meu próprio filho irá fazer o meu trote. Ele é veterano do segundo ano no curso de geografia também?, disse, rindo da coincidência.

Antes procuradora do Estado e formada em direito em 1981, Lindamir agora pensa em exercer a carreira de professora. ?Prestei só na Fuvest mesmo, e agora é só alegria. Talvez eu queira lecionar depois de terminar essa nova faculdade?, afirmou.

Dedicação

A estudante Beatriz Balthasar, 18, é outra aprovada da Fuvest 2013. A agora caloura do curso de gestão ambiental também havia prestado hidráulica e saneamento ambiental na Fatec (Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo) e passou em letras pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

?Eu fiquei muito feliz porque foi um ano inteiro batalhando com os meus amigos e é uma satisfação muito grande?, disse. ?Lembro que quando ficava ansiosa para a prova tinha insônia e estudava a madrugada inteira?.

Beatriz não é a única. Isabeli Ariel, 19, passou no curso de psicologia e usava a mesma técnica. ?Quando ia mal nos simulados, eu virava a madrugada em cima dos livros?. A estudante também conseguiu uma vaga na Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro).

Já Ramon Silva de Lima, 17, afirma que estudou com tranquilidade para as provas da Fuvest 2013. ?Eu fiz Olimpíadas Científicas. Eu acho que isso me ajudou bastante?, afirma o aprovado em engenharia da computação, que conciliou o último ano do ensino médio com cursinho.

Luís Toledo, 23, que passou em engenharia química na Escola Politécnica da USP, também falou da sua superação. O estudante fez dois anos de cursinho e teve de abrir mão da vida social. ?Foi muito sofrimento, mas eu só cheguei aqui com o apoio da minha família, da minha mãe, da minha irmã, e dos meus amigos próximos?, disse. ?Foi fundamental para eu ter força?.

Fonte: UOL