Aposentado vai renovar carteira e descobre que está "morto"

Aposentado vai renovar carteira e descobre que está "morto"

Cartório usou RG de José Dorival Barbosa na certidão de óbito do pai dele. "Nos documentos estou morto, mas pessoalmente estou vivo", lamentou

?Mas você está morto!?. Foi essa a exclamação que o aposentado José Dorival Barbosa ouviu quando foi renovar a carteira de motorista no município de Cambira, no norte do Paraná. O que poderia ser apenas um erro do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) se confirmou como um problema maior quando Barbosa descobriu que o próprio Instituto de Identificação do Paraná também o considerava morto.

No Instituto, o registro de Barbosa aponta para óbito, sem prestar informações sobre data ou causa da morte, no entanto. ?Na realidade, nos documentos eu estou morto, mas pessoalmente eu estou vivo, graças a Deus. Mas tem o constrangimento de provar. Você está morto, mas tem que provar que está vivo para não dar problema para você mesmo?, lamentou o aposentado.

O problema foi detectado no Cartório de Apucarana, que na hora de fazer a certidão de óbito do pai de José Dorival, em 2006, utilizou o RG do filho. A auxiliar do cartório Maria de Lourdes Romário confirmou a falha, e garantiu que será corrigida. ?Inclusive entrei em contato com o Instituto de Identificação, achei que era necessário mandar um ofício e eles falaram que não, que isso é um problema que acontece corriqueiramente?, explicou, acrescentando que Barbosa terá de levar a certidão de óbito para o Instituto.

Até que a questão seja resolvida, José Dorival segue sem poder dirigir e provar que ainda vive. ?Enquanto não provar totalmente que estou vivo, a vida está parada?, constata. O Instituto de Identificação do Paraná informou que neste tipo de caso a responsabilidade é do cartório que enviou os dados errados, e que não é possível calcular o tempo para regularizar a situação de Barbosa, já que ela depende de um processo judicial.

Fonte: G1