Araras gays mudam e agora se aproximam de machos

Araras gays mudam e agora se aproximam de machos

Coordenador do criadouro diz ser natural a mudança de comportamento.

As araras fêmeas que mantinham relacionamento de casal no minizoo de Porto Alegre e viraram notícia no Rio Grande do Sul estariam procurando novos namorados, desta vez do sexo oposto. Transferidas com outros quase 80 animais para o Criadouro Conservacionista São Braz, em Santa Maria, no dia 19 de dezembro, elas começam a mudar os hábitos na nova casa.

Linda, de penugem azul e da espécie Canindé, e Lara, de penugem vermelha e da espécie Macau, depois de dividirem o mesmo ambiente por 20 anos sem outras companhias, agora convivem com mais araras.

Elas começaram a se afastar uma da outra, criando um relacionamento com machos. ?Há 10 dias, quando ocorreu a junção delas com outras aves, a Linda afastou-se da Lara, convivendo com indivíduos da mesma espécie, o que é natural?, explica o coordenador do criadouro, Santos Braz, ambientalista que trabalha há 30 anos na criação de animais.

Quando as araras ainda estavam no minizoo de Porto Alegre, a bióloga da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam) Patrícia Witt analisou o comportamento das fêmeas que viviam como casal. Ela salientou que não há nenhuma comparação com o comportamento humano.

"Isso ocorre pelas condições de confinamento, pela indisponibilidade de parceiros de outro sexo e pelo instinto de reprodução da espécie", esclareceu. De acordo com as avaliações de Braz, as araras estariam na fase da paquera e logo deverão escolher seus novos namorados em Santa Maria.

Dessa maneira, terão a oportunidade de se reproduzir. Quando viviam juntas, Linda chegou a botar três ovos ? que Lara ajudou a chocar ?, mas eles não vingaram porque não foram fertilizados por um macho.

Fonte: g1, www.g1.com.br