Área da Vila Nova Esperança foi destinada pela PMT para projeto habitacional

As famílias que ocuparão as casas passarão por um processo de escolha, de acordo com os prerrequisitos exigidos.

ACOMPANHE A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DE QUINTA-FEIRA (15/05) DO JORNAL MEIO NORTE.

A área ocupada recentemente por mais de 500 famílias, na Vila Nova Esperança, na região do Residencial Pedro Balzi, já foi destinada pela Prefeitura Municipal de Teresina para um projeto habitacional, viabilizado pelo Programa Minha Casa, Minha Vida. As famílias que ocuparão as casas passarão por um processo de escolha, de acordo com os prerrequisitos exigidos.

A PMT esclareceu que as famílias que ocuparam a área devem ser inscritas no Cadastro Geral Único, que estabelece critérios rigorosos para definir quem realmente precisa de moradia, a fim de evitar a invasão para efeitos de especulação. ?Além disso, parte desse terreno é definido, por lei, como área para construção de equipamentos urbanos e, ainda, uma outra parte para preservação ambiental. Desta forma, a ocupação desordenada que lá se encontra hoje é totalmente inviável?, explicou em nota a Assessoria de Imprensa da PMT.

A ocupação da Vila foi levada para discussão essa semana, na Câmara Municipal de Teresina. Segundo líderes comunitários da região, no primeiro cadastro realizado há algumas semanas, eram 400 famílias, mas o número já subiu e deve continuar aumentando. Todos os dias novas famílias chegam à vila, com a esperança de ter uma moradia própria.

Fonte: Pollyana Carvalho