Seca deixa vazios armazéns da CONAB e abastecimento não é feito

Seca deixa vazios armazéns da CONAB e abastecimento não é feito

Companhia anunciou que não fará a distribuição de alimentos entre as vítimas da seca.

Os agricultores do semiárido do Piauí, que perderam toda a safra, já convivem com a falta de comida na mesa e recorrem à fé de que a situação um dia irá mudar, mas a esperança na distribuição de alimentos através da Companhia Nacional de Abastecimento no Estado (CONAB) caiu por terra. É que, ao contrário do ano passado, quando contava com quatro armazéns espalhados ao longo do Estado, a companhia não irá distribuir cestas básicas este ano entre os agricultores atingidos pela seca.

?A Defesa Nacional possuía um estoque de 3000 cestas básicas que, obviamente, não seriam suficientes para atender todas as famílias atingidas pela seca. A solução encontrada foi distribuir a comida entre as paróquias das cidades mais afetadas, como São Raimundo Nonato, Simplício Mendes, Oeiras e proximidades?, conta Alysson Pego, superintendente da CONAB.

Alimentos como arroz, feijão, farinha de mandioca, óleo de cozinha, macarrão e sardinha estavam presentes nas cestas básicas. Nas palavras de Alysson, a Defesa Nacional achou melhor amparar as famílias através da estimulação da economia local e também pelos programas sociais do governo, pois valorizam os hábitos alimentares regionais.

A ação foi aprovada pela comunidade dos municípios estiados. De acordo com o superintendente, a escolha de entregar os alimentos para as dioceses locais está justificada no fato de que os padres conhecerem melhor a realidade de seu povo, já que são mais próximos da comunidade.

?A proximidade do período eleitoral e o risco das prefeituras serem acusadas de propaganda política extemporânea fez com que a Defesa Civil, e a CONAB, optassem por não acessar o em que de cestas disponibilizado pelo governo. Estamos prestando ajuda através do Auxílio Ração Animal, onde o quilo do milho é vendido aos agricultores por um preço abaixo do valor de mercado?, explica Alysson.

Cada agricultor pode adquirir 3 toneladas de ração para animais

O Auxílio Ração Animal é fornecido no Piauí, segundo a direção da CONAB, para todos os agricultores cadastrados no programa Bolsa Estiagem. Cada lavrador tem direito de adquirir três toneladas de grãos por CPF. A saca de 60kg é vendida por R$ 18,12. Para ter acesso ao programa, o trabalhador deve ser cadastrado na prefeitura do município, que deve encaminhar a requisição para o Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Além de valorizar os hábitos alimentares de cada família, o auxílio em dinheiro ajuda a aquecer a economia, fazendo com que haja circulação constante de dinheiro na região. Para o superintendente, os auxílios evitam problemas sociais maiores, como o êxodo rural.

Além do Bolsa Estiagem, as famílias atingidas pela seca são beneficiadas por ou-tros subsídios, como o Seguro Safra e o projeto Brasil Carinhoso. O programa Brasil Carinhoso é parte integrante do Bolsa Família e contempla muitas famílias com filhos de até seis anos idade.

Cada membro recebe uma ajuda de R$ 70,00 por mês. Já o Seguro Safra fornece o montante de R$ 680,00 divididos em cinco parcelas iguais para os agricultores cadastrados. Mas, para usufruir do programa, o trabalhador não pode ser atendido pelo Bolsa Estiagem.

Falta d"água ainda é o principal problema

Apesar dos auxílios fornecidos pelo governo, as famílias do interior do estado padecem com a falta d"água. Em São Raimundo Nonato a situação continua crítica e o litro da água chega a ser vendido por R$ 20,00. Os moradores precisam vender seus pertences pessoais para não morrer de sede.

De olho no problema, o governo do estado iniciou a Operação Carros-pipa no último mês de maio. Até agora, o programa já beneficiou cerca de 250 mil pessoas, boa parte delas em São Raimundo Nonato. "Fechamos um convênio com o exército e, atualmente, cerca de 50 carros-pipa estão rodando pelo interior do Piauí. A meta é contratar mais 250 caminhões", conta Jerry Herbert, diretor da Secretaria Estadual da Defesa Civil.

Segundo Jerry, o serviço está sendo cumprido à risca. Em todos os veículos há um número de Disque Denúncia para que o Exército seja avisado caso haja irregularidades. Visando um maior controle do trabalho de distribuição de água, cada município contará com fiscal e coordenador, que entregará tickets para que cada beneficiado com o serviço possa exigir seus direitos.

O diretor ainda explica que, para o segundo semestre, está prevista a continuação do serviço de equipagem de poços tubulares. As cidades beneficiadas pelo projeto contarão com caixas d"água e chafarizes. Ainda para este ano está prevista a entrega de mais de 1500 quilômetros de adutoras. "Estamos trabalhando diuturnamente para eliminar a necessidade de carros-pipas e também para aumentar a dignidade da população", finaliza.

Fonte: Djalma Batista e Olegário Borges