Arte faz alunos crescerem em sala

Projetos ajudam na concentração

Atividades que estimulem a concentração, que ressaltem a disciplina em geral ajudam no desenvolvimento escolar dos alunos. Na Casa Meio Norte vários projetos neste sentido são desenvolvidos e já tem resultados positivos no crescimento dos alunos em outras disciplinas como Português e Matemática. Entre os exemplos estão até alunos que conseguiram melhorar o seu desempenho interpessoal com os projetos desenvolvidos.

Atualmente, na Casa Meio Norte vários projetos são desenvolvidos no sentido de estimular os alunos tanto nas artes, quanto nas aulas em geral. ?A arte é trabalhada por projetos, como aula de violão, violino, flauta e balé. Esses projetos são desenvolvidos em conjunto com parceiros como a FAP, nas aulas de balé; violão, com a Fundação Cultural Monsenhor Chaves e as outras modalidades com o Música para Todos?, destaca a coordenadora pedagógica da Casa Meio Norte, Isnaira Gomes Lustosa.

Em geral as aulas acontecem no contraturno das aulas das outras disciplinas. ?Mas, em algumas modalidades o aluno é liberado para participar de algumas aulas?, relata Isnaira. A coordenadora pedagógica enfatiza que os alunos apresentam grande desenvolvimento a partir das atividades que participam. ?Eles tem se desenvolvido bastante, principalmente com relação aos saberes de sala de aula. Eles sempre foram disciplinados, mas melhoraram ainda mais, assim como ficam mais atenciosos?, disse.

Outro aspecto muito valorizado e presente nas aulas é a concentração. ?A concentração é fundamental para o desenvolvimento musical e nas aulas também?, relata Isnaira Gomes Lustosa. Ela valoriza o crescimento das aulas e das parcerias e acredita que os resultados no futuro poderão ser ainda melhores. ?É uma exploração nova para a gente, mas a medida que a demanda cresce e é atendida estamos conseguindo inserir mais alunos?, ressaltou.

Um exemplo, que a coordenadora considera como emblemático é o do aluno Anderson Sales, que conseguiu crescer em vários aspectos a partir da experiência com a música. ?Houve o Anderson Sales, que era muito tímido na sala de aula, tinha dificuldades e matemática e que com a flauta acabou sendo destaque e hoje está partindo para o violino com um crescimento notável?, finaliza. (C.R.)

Fonte: Carlos Rocha, Jornal Meio Norte